arquivo

Arquivo da tag: www.photoshopcreative.com.br

Dúvidas na hora de utilizar o Photoshop? Então acompanhe várias dicas sobre ferramentas e efeitos

1 – Ferramentas escondidas
Para ter acesso a diversas ferramentas que estão escondidas no Photoshop, clique nos ícones na barra de ferramentas e mantenha o botão pressionado até surgirem várias opções.

2 – Janelas escondidas
Não consegue achar determinada janela? Acesse o menu Janelas (ou Window) e ative a que você procura.

 Nome das ferramentas
Como saber o nome de uma ferramenta? Mantenha o mouse sobre qualquer ferramenta para que seu nome seja exibido. Faça isso para se familiarizar com as ferramentas.

4 – Atalhos
Dê atenção aos atalhos no teclado, eles tornarão seu trabalho muito mais rápido e eficiente.

5 – Altere a cor de objetos
Para não perder detalhes de luz e profundidade, faça o seguinte: com a ferramenta Pincel, mude o modo para a opção Cor e selecione uma cor qualquer. Ao passar o pincel sobre a imagem, perceba a troca de cor em um efeito bastante interessante.


6 – Ocultando ferramentas
Teclando Tab, você pode ocultar/exibir as janelas e ferramentas do Photoshop. Isso ajudará bastante para visualizar melhor a imagem que está sendo trabalhada.

7 – Mova imagens com rapidez
Quando você estiver trabalhando em close na imagem, é mais rápido e prático movê-la pressionando a barra de espaço. A seta do mouse virará uma mão e você poderá mover a imagem como quiser.

8 – Seleções em forma geométrica perfeita
Ao usar as ferramentas de seleção, pressione a tecla Shift e você terá círculos e quadrados perfeitos.

9 – Aumentar e diminuir a tela de exibição de forma rápida
Use Ctrl e a tecla + conjuntamente para aumentar o close sobre a imagem e Ctrl e a tecla – para afastar a visualização da imagem.

10 – Modo máscara rápida (seleção)
Teclando Q, você estará no modo Máscara rápida, uma boa maneira para criar seleções/máscaras. Nesse modo, usar o pincel fará surgir uma seleção e a borracha irá desfazê-la. Ao voltar para o modo-padrão, teclando Q novamente, você verá a seleção pronta. Ideal para máscaras mais  complicadas.

11 – Retoques
Com a ferramenta Carimbo, você poderá fazer retoques avançadíssimos e com perfeição. Para tanto, pressione Alt e clique em um ponto qualquer da imagem. Solte o Alt e passe o pincel. Note que a parte que foi clicada com o Alt está sendo copiada. Para tirar uma espinha do rosto de alguém,por exemplo, basta copiar e colar um trecho de pele perfeito sobre a imperfeição.

12 – Perspectiva
Em Editar, Transformação, Perspectiva, você poderá adicionar ótimos efeitos de perspectiva. Basta mover a grade que se forma em volta da figura quando o efeito é acionado. Use para estilizar um texto e sinta a diferença.


13 – Adicionar seleções
Segurando a tecla Shift, você poderá somar seleções, compondo uma máscara mais precisa.

14 – Subtrair seleções
Por outro lado, pressionando Alt você subtrai seleções.

15 – Retoque com “remendos”
Você também pode retocar uma imagem, copiando e colando pedaço perfeito da imagem sobre trecho com problema. Para tirar as bordas deixadas quando colado o remendo, basta passar suavemente a borracha sobre as bordas do trecho colado.

16 – Copiar elementos com o carimbo
Além de retocar, podemos usar o carimbo para duplicar elementos. Da mesma forma que operamos na dica acima, você pode, na imagem de um céu estrelado, por exemplo, copiar uma estrela de um ponto para outro do céu com total perfeição.

17 – Converter texto em imagem
Em Camadas, Converter em bitmap, Texto, é possível transformar um texto em imagem. É uma opção importante, pois determinados efeitos e preenchimentos exigem que o texto esteja em forma de imagem.

18 – Redimensionamento rápido
Tecle Ctrl + T para redimensionar sua imagem de forma rápida.

19 – Ferramenta laço magnético
Para fazer uma seleção/máscara de forma rápida, use a ferramenta laço magnético. Ao passar o ícone próximo à extremidade de uma imagem, o laço faz automaticamente a seleção. É uma ferramenta recomendada somente para imagens mais simples.

20 – Preenchimento rápido
Clicando Alt + Del você preencherá, de forma rápida, seleções ou imagens inteiras.

21 – Organizar janelas
Em Janela, Organizar, há várias opções para organização de janelas, válidas para quando há muitas imagens abertas ao mesmo tempo.

22 – Imagens provenientes do scanner
Se você tem um scanner, é possível escanear uma imagem diretamente pelo Photoshop. Basta acessar Arquivo, Importar e selecionar o modelo de seu scanner. Isso fará com que a imagem já seja lançada dentro do próprio Photoshop quando for escaneada.

23 – Alterar tamanho do pincel
É possível alterar o tamanho do pincel simplesmente clicando em + ou – no teclado.

24 – Ferramenta corte demarcado
Selecione o trecho que você pretende manter na imagem e, em seguida, tecle Enter. Tudo o que não for selecionado pela moldura, será excluído.

25 – Corte preciso
Pressionando Shift ao usar a ferramenta corte demarcado, você obterá cortes com um quadrado  perfeito.

26 – Modo tela cheia
Para visualizar melhor sua imagem, altere o modo de exibição teclando F. Há como deixar a imagem ocupando a tela inteira.

27 – Sombra projetada
Em Camada, Estilo de camada, Sombra projetada, é possível criar ótimos efeitos de sombra, podendo alterar distância, opacidade e seu tamanho em relação à imagem.


28 – Copie uma cor preexistente
Com a ferramenta conta-gotas, você pode identificar a cor que está sendo usada em qualquer imagem. Ao clicar com ela, de imediato a cor selecionada será colocada como cor de primeiro plano.

29 – Fazer uma seleção
através de cores semelhantes Clique com a varinha mágica em uma cor específica de sua imagem e, em seguida, clique em Selecionar, Semelhante e tudo que tiver cor aproximada a que foi selecionada será adicionado à seleção.

30 – Variar cores da imagem
Em Imagem, Ajustes, Variações, você pode alterar levemente as cores de sua imagem inserindo aos poucos mais verde, ou vermelho, ou ciano etc. É uma ótima opção para ajustar imagens amareladas ou com cores mortas.

31 – Selecionar tudo
Teclando Ctrl + A, você cria uma seleção sobre toda a imagem.

32 – Duplicar camadas de forma rápida
Primeiramente selecione a imagem clicando Ctrl + A e, em seguida, copie e cole clicando Ctrl + C e Ctrl + V. Pronto,uma nova imagem exatamente igual a que você estava trabalhando foi criada.

33 – Restaurar cores-padrão
de primeiro e segundo plano Teclando D, você restaura as cores branco e preto do padrão de forma rápida.

34 – Transparência
Na janela de camadas, diminuindo a opacidade da camada, você cria um efeito de transparência, deixando transparecer a imagem abaixo da que está sendo trabalhada.

35 – Bloquear camada
Se você está trabalhando com muitas camadas, pode optar por bloquear algumas delas para evitar alterar alguma coisa sem perceber. Para isso clique na imagem da seta de quatro pontas na janela de camadas.

36 – Ocultar camada
Você pode optar também por esconder determinada camada. Basta clicar na figura do olho que fica ao lado de cada camada dentro da janela de camadas.

37 – Inverter seleção
Ao selecionar uma área, você pode inverter esta seleção clicando em Camada, Inverter. É uma boa dica para quando se precisa recortar uma figura de um fundo chapado, pois basta selecionar todo o fundo, inverter a seleção e recortar a imagem.

38 – Tamanho da tela de pintura
Em Imagem, Tamanho da tela de pintura, você pode aumentar a área da imagem que está trabalhando, expandindo ou retraindo-a, basta digitar a medida.

39 – Tamanho da imagem

Em Imagem, Tamanho da imagem, você pode alterar o tamanho real da imagem. Só fique atento na hora de aumentá-la demais, pois isso poderá deixá-la granulada.

40 – Tamanho real da imagem
Muita gente acha que o tamanho que se vê a imagem em 100% no Photoshop é o tamanho real dela, mas não é verdade. Você só saberá o tamanho correto da imagem indo à opção comentada no item anterior. Lá, você verá o tamanho exato da largura e da altura. Essas medidas é que determinam também o tamanho da impressão dessa imagem.

41 – Resolução da imagem
Uma informação imprescindível ao se trabalhar com uma imagem é saber qual é sua resolução. É também em tamanho da imagem que você pode conferir isso. Você pode diminuir a resolução, se não quiser ter uma imagem muito pesada, por exemplo, mas evite ao máximo aumentar a resolução da imagem, pois isso pode distorcê-la.

42 – Resolução para Internet
O padrão para imagens de Internet costuma ser de 72 dpis. Dificilmente você encontrará imagens com menos resolução que isso.

43 – Resolução para impressão em gráfica
Já para impressões em gráfica, o recomendado é 300 dpis, para que se tire o máximo de qualidade da imagem.

44 – Resolução impressão digital
Se você for imprimir a imagem em gráficas rápidas ou em sua casa mesmo, procure trabalhar com uma resolução em torno de 150 dpis.

45 – Tamanho da impressão
Uma forma de não só saber a medida para impressão, como também para visualizar a imagem é usando a ferramenta Zoom. Basta clicar com o botão direito sobre a imagem e, em seguida, selecionar o tamanho da impressão. O que você verá é o tamanho em que sua imagem será impressa.

46 – Otimizando o uso de janelas
Para evitar ter um monte de janelas abertas durante seu trabalho, monte todas que for precisar em uma. Para isso arraste as janelas pela orelha e insira todas em uma só janela. Depois, basta alterar clicando nas orelhas.

47 – Salvar para Web
Quando for usar a imagem para a Internet, salve usando a opção Salvar para Web, indo ao menu Arquivo. Imagens para Internet precisam ser o menos pesadas possível. Nessa janela, você poderá alterar o peso da imagem, sem perdas significativas de qualidade.

48 – Definindo novas cores
Você pode definir novas cores clicando em uma das duas cores que ficam na barra de ferramentas. Daí, é só selecionar com o cursor a cor que mais lhe agrade.

49 – Criar ação
É possível criar ações para procedimentos repetitivos. Vá à janela de ações e clique no botãoCriar nova ação e, em seguida, em Gravar. Tudo o que você fizer daí em diante será gravado. Quando estiver pronto, clique em Parar, e quando quiser rodar sua ação, basta clicar no botãoExecutar ação para que o Photoshop repita todo o procedimento.

50 – Salvar em JPG
Dica simples, mas importante. Se você estiver trabalhando em um arquivo PSD e quiser salvá-lo em JPG, bastar clicar em Arquivo, Salvar como e escolher JPG no item formato.

51 – Girar/redimensionar imagem
Em Editar, T livre, você poderá girar ou redimensionar sua imagem. Apenas clique e mova-a pela moldura que surgirá na imagem.

52 – Girar/redimensionar imagem rapidamente

Com Ctrl + T, você acessa o item transformação livre rapidamente.

53 – Salvar seleção
Em alguns casos é interessante salvar uma seleção/máscara para usá-la novamente mais tarde, principalmente quando você perdeu muito tempo criando uma máscara.
Para salvar, vá para Selecionar, Salvar seleção, determine um nome para a máscara e clique em OK. É também no menu Selecionar que você poderá carregar essa seleção.

54 – Efeito de chanfro e entalhe
Essa é uma ótima dica para destacar imagens e principalmente textos. Vá para Camada, Estilo de camada, Chanfro e entalhe e selecione uma entre as opções oferecidas na janela.

55 – Brilho e contraste
Uma boa maneira de ajustar luminosidade de imagens é usar a opção brilho e contraste. Vá para Imagens, Ajustes, Brilho e contraste e faça os ajustes necessários.

56 – Curvas
Se a opção brilho e contraste não resolver, você pode clicar em Imagens, Ajustes, Curvas para editar a luminosidade da imagem. Mova a curva que aparece nessa opção para aperfeiçoar a luz de sua imagem.

57 – Realçar sombras

Uma maneira rápida também de alterar a luminosidade clareando as sombras é usando a opção Sombra/realce em Imagens, Ajustes, Sombra/Realce.

58 – Efeito negativo
Em Imagens, Ajustes, Inverter, você pode simular um um efeito muito parecido com o de negativos de fotografia


59 – Efeito de reflexo de flash
Em Filtro, Acabamento, Reflexo de flash, você pode inserir um efeito fácil e muito bonito. Mova a luz com o mouse para onde achar conveniente e altere a percentagem do brilho.

60 – Seleção automática de camada
Selecione a ferramenta Mover e, no topo da janela, clique em Seleção automática de imagem. Essa dica é ideal para quem está trabalhando com várias camadas, pois permite que você acione a camada somente com um simples clique sobre ela.

61 – Textura bordado
Em Imagem, Textura, Bordado, você poderá fazer um excelente efeito de bordado. É bem simples de usar e você ainda pode alterar relevo e o tamanho dos quadrados.

62 – Mostrar caixa delimitadora
Ao lado da opção Seleção automática de camada, há a opção Mostrar caixa delimitadora. Ativando-a, você terá uma moldura fixa em volta da camada em que estiver trabalhando, podendo alterar seu tamanho ou girar a camada.

63 – Linhas retas ao usar pinceis
Pressionando Ctrl ao usar pincéis, você fará linhas retas, para cima ou para baixo.

64 – Ferramenta fatiar para Web
O Photoshop pode fatiar uma imagem para que ela seja incluída na Web. Fatiando uma imagem, você permite que o navegador carregue-a aos pedaços, tornando sua exibição mais rápida. Para fatiar, bastar passar a ferramenta Fatiar para Web sobre a imagem, para dividir em vários pedaços. Para salvar a imagem, use a opção Salvar para Web.

65 – Aumente a área de trabalho com a ferramenta corte demarcado
Selecionando a imagem com a ferramenta e esticando a grade para fora da imagem, você aumentará a área da imagem logo depois de teclar Enter.

66 – Pincel com efeito de dissolver
Selecione a ferramenta Pincel e, em Modo, altere para Dissolver. Os traços feitos a partir de então darão a impressão de que estão se dissolvendo.

67 – Guias
Depois de ativar a régua, você poderá inserir guias à sua imagem. Clique sobre a régua e arraste a guia para dentro da imagem. Muito útil para ações que necessitam de precisão.

68 – Distorcer texto
Escreva um texto qualquer e, na barra acima da janela, há a ferramenta criar texto distorcido. Com ela é possível dar várias formas aos textos.

70 – Preencher rapidamente
Tanto em camadas, como em textos, você pode preencher rapidamente com a cor de primeiro plano usando as teclas Alt + Del.

71 – Régua
Em Visualizar, Régua, você poderá ativar a régua para auxiliá-lo nos trabalhos que exigem mais precisão.

72 – Preferências da régua
Ao clicar duas vezes sobre a régua, você poderá mudar detalhes como a medida que ela está sendo representada, mudando de mm para cm, por exemplo.

73 – Preferências da guia
A dica acima também vale para as guias. Clicando duas vezes sobre elas, você poderá mudar características como cor ou estilo grade.

74 – Ferramenta borrar
Use esta ferramenta para fazer pequenos reparos, como imagens de rostos em close ou de pele. Clicando nela você pode esconder pequenas imperfeições da imagem. A ferramenta borrar é a mão com o dedo indicador apontando na barra de ferramentas.

75 – Opacidade do pincel
Você pode alterar opacidade do pincel clicando na ferramenta e, em seguida, alterando a percentagem na parte superior da janela.

76 – Ferramenta classificar por cores
Com essa ferramenta, você pode identificar exatamente a cor que preenche determinado trecho da sua imagem. A ferramenta poderá lhe fornecer as informações em CMKY ou RGB, por exemplo.

77 – Quando usar RGB ou CMKY?
O critério é simples. Se a imagem é para uso virtual e não será impressa em gráfica, use RGB. Se você for mandar a imagem para impressão em gráfica, é preciso alterar o modo para CMYK. Essas alterações podem ser feitas em Imagem, Modo.

78 – Alternar imagens abertas
Quando você tiver muitas imagens abertas ao mesmo tempo, é fácil alterná-las teclando Ctrl + Tab.

79 – Ocultar somente janelas
Você pode ocultar somente as janelas, mantendo a barra de ferramenta. Basta teclar Shift + Tab.

80 – Ferramenta com cursor mais preciso
Ao teclar Caps Lock, você transforma o cursor da ferramenta em uma forma mais precisa para trabalhos que necessitem de mais detalhes.

81 – Reverter
Fez alguma bobagem em seu arquivo e estragou seu trabalho? Reverta para o momento em que seu arquivo foi salvo pela última vez, clicando em Arquivo, Reverter.

82 – Dégradé sobre a imagem
Nas opções do dégradé, você pode alterar o modo para Cor, possibilitando o preenchimento sem se perder a imagem em que o dégradé estará sendo aplicado.

83 – Linhas
Na ferramenta Linha, você pode criar traços de vários pesos diferentes, bastando clicar e arrastar a ferramenta sobre a imagem. Vale lembrar que pressionando Shift serão feitos traços retos na horizontal ou vertical.

84 – Sombra interna
Em Camada, Estilo de camada, Sombra interna, você poderá criar uma sombra projetada para dentro da camada.

85 – Ferramenta superexposição
Ativando essa ferramenta na barra de ferramentas, você conseguirá fazer pequeno ajustes de luz e claridade sobre as imagens.

86 – Ferramenta dégradé
Ótima opção para preencher espaços em branco, fundos de imagens ou camadas. Ative o dégradé na barra de ferramentas e na parte superior da janela é possível editar cores e formatos para o preenchimento.

87 – Modelos predefinidos de dégradé
Nas opções da ferramenta, há modelos interessantes predefinidos para uso do dégradé. Há boas sugestões para uso, confira!

88 – Latas de tinta
Use essa ferramenta para preencher espaços ou seleções com a cor de primeiro ou segundo plano.

89 – Ferramenta nitidez
Essa ferramenta possibilita o aumento da nitidez, por onde ela é passada, mas serve unicamente para pequenos ajustes. Deve-se usá-la levemente para não causar danos à imagem.

90 – Ferramenta medir
É uma forma bastante eficiente para se medir um trecho da imagem. Basta clicar de um ponto a outro para receber a informação de quanto mede o trecho. Procure usar essa ferramenta pressionando Shift.

91 – Laço poligonal
É a maneira mais rápida para selecionar figuras ou formas que não sejam muito rebuscadas. Acione a ferramenta na parte superior da barra de ferramentas e vá clicando em volta da imagem a ser selecionada, até fechar a seleção voltando ao ponto do primeiro clique.

92 – Desfazer seleção
Teclar Ctrl + D é a maneira mais rápida de desfazer uma seleção.

93 – Ferramenta carimbo-padrão
Essa ferramenta permite fazer preenchimentos com padrões preexistentes no Photoshop. Na parte superior da janela, pode-se mudar esses padrões.

94 – Duplicar a camada
Outra forma de duplicar uma camada é clicando com o botão direito do mouse sobre ela na janela de camadas e, em seguida, clicar em Duplicar camada.

95 – Mesclar todas as camadas
Você pode chapar todas as camadas em uma, indo em Camada, Mesclar camadas visíveis.

96 – Mesclar camadas rapidamente
Basta clicar Ctrl+ Shift + E.

97 – Mesclar para baixo
Nessa opção, você mescla somente a camada em que está trabalhando com a que vem logo abaixo dela, deixando todas as outras como estão.

98 – Mesclar para baixo rapidamente
Clique CTRL+ E.

99 – Arquivos com transparência
Para salvar um arquivo com fundo transparente, a melhor maneira é salvando no formato PNG, indo a Arquivo, Salvar como, Formato, PNG.

100 – Selecionar tudo
Teclar Ctrl + A é a maneira mais rápida de selecionar toda a imagem ou camada em que se está
trabalhando.

 

E muito mais no link: http://www.photoshopcreative.com.br/dicas/aq0-124-7134-1-207+dicas+de+photoshop.html

 

Fonte: http://www.photoshopcreative.com.br

Anúncios

Todo final de ano é sempre a mesma história, ficamos nos perguntando sobre o que enviar aos clientes e amigos em celebração ao Natal e Ano-Novo.

A inspiração veio do filme E.T., quando eles passam pela lua voando com a bicicleta e também pelas nuvens, que eram meio cartoon, um estilo bem semelhante à marca da Dreamworks. Então, decidi que queria descobrir como fazer aquele efeito no Photoshop sem usar imagem alguma para as nuvens.
O mais importante de toda a criação foi como desenvolvê-las. O processo é relativamente fácil, mas poucas pessoas se dão conta do quão poderoso é o sistema de pincéis do Photoshop. Para criar as nuvens, apenas eles serão utilizados.

01 Escolha o papel correto

Comecei criando um documento novo, tamanho A4, mas com resolução reduzida para enviar via email. No novo documento, apliquei um Pattern Overlay com Layer Styles (Layer > Layer Style > Pattern Overlay) na camada de fundo. Usei oLinen Weave, que pode ser encontrado dentro da biblioteca Color Paper.

 

02 Criando a base

Para a área em que a imagem seria criada, desenhei um retângulo com a ferramentaRetangle [U]. A ideia era fazer uma borda legal. Assim, apliquei um gradiente nesse retângulo, usando Layer Styles (Layer > Layer Styles > Gradient Overlay…). Para as configurações do gradiente, foram utilizados: Style = Linear, Angle = 90º, e para as cores, #12141c, #3e221a e #341f1b.

03 Pincel fofo

Eu sempre quis criar nuvens realistas e volumétricas no Photoshop, embora não soubesse como. Ao pesquisar algumas alternativas, descobri como criar nuvens com pincéis não era exatamente o que eu queria, mas serviria de base. Para realizar o procedimento, abra a paleta Brushes, com a ferramenta Brushselecionada, e use os seguintes parâmetros:» Brush Tip Shape: use Diameter = 500 px, Roundness = 100%, Hardness = 0% e Spacing = 25%. » Shape Dynamics: use Size Jitter = 100%, Minimum Diameter = 20%, Angle Jitter = 20% e Roundness Jitter = 0%. » Scattering: use Scatter com Both Axes e 120%, Count = 5 e Count Jitter = 100%. » Texture: use Clouds, da biblioteca Patterns, Scale = 400% (você pode deixar maior, se quiser nuvens mais fofinhas) e Mode = Color Burn. » Other Dynamics use Opacity Jitter = 50% e Flow Jitter = 20%. Vá ao menu de opções da paleta Brushes e escolha New Brush Preset…. Salve o pincel com o nome que preferir.

04 Pintando nas nuvens

Depois de criar o pincel, adicionei uma nova camada e comecei a pintar com ele usando branco. O interessante é que ele nunca pinta o mesmo tipo de nuvem, então tentei algumas vezes até chegar ao formato desejado. Como já tinha a área clara da nuvem, o segredo era adicionar as áreas escuras, assim daria aquele efeito de profundidade. Em uma nova camada em cima da pilha, usei o Clipping Mask (Layer > Create Clipping Mask [Ctrl/Cmd] + [Alt] + [G]) para pintar somente na mesma área onde estava a nuvem branca. Escolhi preto para a cor e fui variando a opacidade do pincel, sempre abaixo de 50%. Logo depois, comecei a adicionar mais nuvens. Sempre as maiores na frente e as menores atrás e um pouco acima, para criar a perspectiva. Dica: sempre que se aumenta ou diminui o tamanho do pincel, é necessário fazer o mesmo no parâmetro de textura.

05 Cabeça na lua

Para dar um tom legal às nuvens, adicionei uma nova camada, com outro gradiente. Usei#291907 e #dad6d2 para as cores e modo de mesclagem Overlay. Para a lua, escolhi uma foto. Alterei Blend Mode da camada da lua paraColor Dodge; dessa maneira, o que era preto desaparece e o que era claro se funde com o fundo, intensificando as áreas mais claras. Se você quiser fazer com que a lua fique ainda mais clara, basta duplicar a camada.

06 Criando efeitos de luz

Para dar mais brilho criei, abaixo da camada da lua, um novo grupo de camadas (Create a new group, no rodapé da paleta Layers) e mudei oBlend Mode para Color Dodge, de maneira que todas as camadas desse grupo fossem afetadas pelo modo de mesclagem. Dentro desse grupo, adicionei uma nova camada e, com a ferramentaBrush [B], usando um pincel-padrão com Hardness = 0% e Opacity = 20%, pintei um círculo mais ou menos do tamanho da lua e apaguei, com a Eraser [E], a área de fora da lua, que não seria iluminada.

07 O trenó do Papai Noel

Para adicionar a imagem do Papai Noel e do trenó, usei um vetor do site iStockphoto.com. Para criar as estrelas você pode usar o filtro Add Noise… e ajustar o Levels [Ctrl/Cmd] + [L]. Já escrevi inúmeros tutoriais para criar estrelas. Para mais detalhes, acesse http:// abduzeedo.com/space-lighting-eff ects-10-steps-photoshoptutorial.
Se preferir, importe alguma imagem pronta de estrelas. Após importar a imagem, apague a área que ficará em cima da lua e do Papai Noel com um pincel suave.

08 Aurora Borealis

Para criar o efeito da aurora boreal, usei o mesmo pincel criado para as nuvens, porém menor e mais espaçado. Pintei em uma nova camada dentro do grupo usando Color Dodge e depois apenas apliquei alguns filtros.
» Filter > Blur > Motion Blur Use 90º para Angle e 450 px para Distance» Filter > Distort > Spherize Use 53% para o Amount Normal para Mode;» Filter > Distort > Wave Use a imagem a seguir para referência dos parâmetros.

09 Cartão das antigas

Para criar a ideia de envelhecido, usei textura e pincéis. Primeiro, apliquei uma textura de papel em uma camada e mudei o modo para Overlay. Depois agrupei todas as camadas da imagem e renomeei o grupo como Cartão. Dupliquei o grupo e o converti para Smart Object, assim poderia testar efeitos sem perder a imagem original. Apliquei um Gaussian Blur com 20 px deRadius e alterei o modo para Screen. A imagem ficou bem borrada, mas algumas áreas não deveriam ter esse efeito; então usei uma máscara para corrigi-lo.
Você pode fazer isso pelo menu Layer > Layer Mask > Reveal All e, com um pincel preto suave, começar a pintar a máscara para esconder as áreas da imagem que não precisam ter qualquer tipo de efeito, como o céu e a parte inferior das nuvens, por exemplo. O segredo aqui é testar para saber como o efeito funciona.

10 Ajustes finais

Para finalizar, utilizei alguns pincéis para criar os desgastes nas bordas e as falhas no desenho. Basta adicionar uma camada acima de todas as outras, mas abaixo da textura de papel, e usar o pincel com a cor branca e opacidade reduzida para desgastar a imagem. Essa imagem é relativamente simples de fazer, mas o mais importante é que agora você terá um poderoso pincel para gerar nuvens realistas. Procure sempre testar e brincar bastante com a ferramenta, adaptando técnicas existentes para suas necessidades, para agilizar e facilitar o processo de criação. Afinal, o que interessa é transformar uma ideia em um projeto real.

Muita gente se preocupa com a calibração do monitor para obter cores consistentes. Mas não se esqueça da enorme influência da iluminação e dos objetos ao seu redor. Por Mario Amaya

A percepção das cores é uma informação processada por nossos olhos e cérebros, que não corresponde diretamente à cor física dos objetos no mundo real, e sim à interação entre o conteúdo espectral da luz que chega a eles e a sua tendência intrínseca de refletir mais algumas porções do espectro que outras. Por exemplo, sob a iluminação noturna de rua de lâmpada de sódio, um objeto azul parece preto, pois essa luz não contém quase nenhuma radiação azul. Mas um objeto amarelo sob a mesma luz parece ser quase tão brilhante quanto um branco, já que essa luz é rica em radiação amarela.

Essa capacidade de a iluminação alterar a percepção de cor do objeto é bem conhecida e usada na fotografia: luz quente para suavizar feições do rosto, luz fria para dar um clima noturno e assim por diante.

Por seu lado, o monitor de vídeo é um aparelho engenhosamente concebido para construir imagens obedecendo ao mesmo princípio pelo qual a informação visual das cores é decodificada e analisada pelos nossos olhos. Isso é o que permite representar uma enorme variedade de cores gerando e misturando apenas três luzes coloridas: vermelha, verde e azul.

Um monitor dentro de uma sala com uma lâmpada elétrica é uma situação na qual nossa percepção das cores pode entrar em conflito. Tanto o monitor quanto a lâmpada são fontes de luz independentes, com características espectrais próprias. Quando precisamos avaliar com precisão as cores dos objetos representados na tela e compará-las com as provas impressas, a coisa pode se complicar. Precisamos calibrar o monitor, mas também precisamos ajustar a iluminação ao redor dele.

Imagine que a sua sala de trabalho é iluminada por luzes incandescentes tradicionais, com filamento de tungstênio. Elas produzem uma temperatura de cor baixa (em torno de 3000 K), com forte ênfase para o vermelho e o laranja e fraca reprodução do azul e do violeta. Um monitor normalmente é calibrado de fábrica para uma temperatura de cor de 6500 K, que é mais ou menos correspondente à luz do dia, com uma ligeira tendência ao azulado. O que acontece ao colocar o monitor nesse ambiente? A imagem dele parece extremamente azulada, e fica impossível comparar a olho qualquer imagem na tela com a prova impressa da mesma imagem.

Suponha agora que você transporte o monitor para uma sala com lâmpadas fluorescentes com a mesma temperatura de cor do monitor. As cores na tela parecerão magicamente corretas.

Se for usar o monitor na primeira sala, ele precisará receber uma calibração diferente da usada na segunda sala, a fim de ser sempre condizente com as lâmpadas usadas. Aí sim, será possível identificar as cores na tela com as da prova impressa.


O fotógrafo Marcos Kim em seu estúdio digital em São Paulo, onde praticamente todos os objetos e superfícies são em cores cinzas neutras e os vários tipos de monitores são rigorosamente calibrados com colorímetro.

Melhorando o ambiente

A cor da superfície da tela com o monitor desligado corresponde ao tom mais escuro que ele pode exibir, ou seja, o preto da imagem. Os reflexos da luz ambiente “pintam” a tela e tornam o preto um pouco mais claro, encolhendo a gama de contraste. Isso é especialmente importante no caso dos monitores LCD, que já não têm uma gama de contraste tão extensa.

A necessidade de otimizar a visualização do seu monitor impõe uma série de limitações e exigências à configuração do ambiente:

• Paredes, cortinas e luminárias coloridas? Não pode.

• Janelas atrás ou à frente do monitor, de forma nenhuma! Nas laterais, só se forem distantes e atenuadas por cortinas de cor neutra, ou simplesmente fechadas.

• Luzes de teto e paredes claras situadas atrás de você, de frente para a tela, vão causar problemas. Toda essa região deve ser escura. E você também: vista uma camisa escura.

• A iluminação da sala deve ser suave, fraca. O ideal mesmo é trabalhar na penumbra. Não ilumine o estúdio com luzes fortes, como se fosse um escritório tradicional. O estúdio digital é o contrário do escritório de papel: nele não desejamos a interferência da luz.

• O teto deve ser branco, e se possível a luz de teto deve ser indireta (refletida no teto).

• As paredes devem ser pintadas de cinza neutro ou branco. Nada de creme, areia, azul, verde…

• Se o seu monitor não possui parassol, construa um para uso permanente. Use como matéria-prima papelão corrugado de embalagem ou lâminas plásticas. Pinte-o de preto fosco. Grude-o ao monitor com tiras de Velcro. Aqui tem um gabarito para a construção de um parassol.

Não é para ser um espelho

O problema do reflexo em monitores agravou-se com a adoção em massa pela indústria de informática dos monitores glossy (polidos) para produtos de consumo. Eles realmente permitem obter um preto mais escuro e, com isso, proporcionam um contraste de imagem maior. (Além disso, os mais cínicos podem observar que as superfícies lisas e espelhadas ficam mais bonitas no showroom da loja, embora sejam terríveis para manter livres de marcas de dedos.)

Os reflexos espelhados da tela podem ser um pesadelo para quem pretende usar um desses monitores de consumo em trabalho fotográfico sério – e simplesmente não resta alternativa melhor para muitas pessoas, como quem trabalha com notebook ou quem simplesmente não está no momento ideal para investir muito dinheiro num monitor premium. O fato é que os reflexos distraem muito e perturbam a percepção de tons e cores.

No meu estúdio doméstico, só consegui resolver o problema dos reflexos no monitor tomando três providências:

• Escurecendo a parede de trás (instalando uma estante cinzenta povoada de objetos neutros).

• Regulando cuidadosamente a abertura da janela lateral, que deixa entrar a luz do dia. (Os puristas insistem que o estúdio de imagem digital não pode ter nenhuma janela, mas quem aguenta viver assim?)

• Usando iluminação de piso e não de teto. As lâmpadas são fluorescentes compridas e finas, do tipo que se embute em vitrines de lojas e aquários. A luz indireta e suave, dirigida de baixo para cima, não chega a interferir com o monitor e ao mesmo tempo produz visibilidade suficiente para os objetos na sala.

• A temperatura de cor usada é consistente entre todos os equipamentos: 6500K.

Dê uma força ao seu computador

Por que o Photoshop tem o xadrez de transparência e o fundo da janela em cinza? Por que o Elements, o Bridge e o Lightroom são inteiramente em cinza escuro?

Porque o julgamento das cores pode ser afetado também pelos objetos dentro da tela do computador. Nada mais natural: durante a edição de imagem, os objetos virtuais na tela estão ainda mais dentro do seu campo de visão que os objetos reais.

As dicas a seguir podem parecer beirando a paranoia, mas são realmente úteis:

• Se usa Mac, vá às Preferências do Sistema e escolha como fundo de tela (Mesa) o cinza escuro que está entre as cores sólidas. A seguir, vá ao painel Aparência e escolha o visual Graphite, que elimina as cores vivas dos controles de janelas (botões, barras de rolagem etc.).

• O Windows como vem de fábrica é muito mais colorido que o Mac OS, e isso acaba atrapalhando mais. Se usa Windows XP, escolha o tema padrão clássico, que é totalmente cinza, em vez do berrante tema azul. Se usa Windows VIsta ou 7, o visual Aero também pode ser deixado cinza. Para isso, abra o painel Personalizar e escolha o tema condizente.

• Se no Lightroom e Bridge você usar o esquema visual mais escuro, irá enxergar melhor os tons escuros das suas imagens. Se na apresentação final elas estiverem rodeadas por fundos claros, parecerão mais escuras. Isso é um ponto a considerar ao editar imagens para websites, por exemplo.

 

 

 

Fonte: http://www.photoshopcreative.com.br

Neste tutorial, você aprenderá os passos básicos de uma convincente pintura realística para olhos!

Especialista

    Rodrigo Sória

Rodrigo Sória, nascido em 1985, estudou desenho artístico, ilustração e desenho publicitário. Trabalha como freelancer e desenvolve projetos de computação gráfica em geral.

http://rodrigosoriacampos.blogspot.com/

  

Arquivos Iniciais

Nosso tutorial não possui arquivos iniciais. O desenho e o pincel podem ser feitos diretamente por você.

Neste tutorial, você aprenderá os passos básicos de uma convincente pintura realística para olhos. Tudo começa com um esboço simples, que pode ser feito diretamente na tela ou, se você for do tipo perfeccionista, escaneado de um desenho feito anteriormente. Tenha em mente que noções básicas de pintura, como aplicação de volume com luzes e sombras, é fundamental para qualquer tutorial de pintura realística no Photoshop – e este caso não é exceção. Para facilitar, você pode pegar uma foto como referência. Ela lhe mostrará os locais corretos para a aplicação de luzes, principalmente porque os olhos são áreas molhadas e reflexivas.

Aqui também é uma boa oportunidade para a criação de seus próprios pincéis. Textura de pele, luzes, cílios e pelos podem ser produzidos com um único pincel. Teste o modelo que mais lhe agrada.


01 Esboço do desenho

Com o auxílio de uma pen tablet ou por meio de um desenho escaneado, faça um rápido esboço para estabelecer as formas principais do olho.
Em uma camada abaixo, defina o tom de pele.

02 Cores básicas

Crie uma nova camada, e com um pincel de dureza média e opacidade média, comece a utilizar as cores básicas que vão compor o olho, como sombras e luzes. Amplie de forma considerável a janela de visualização para começar a detalhar algumas áreas, gerando os volumes necessários. Utilize sempre imagens de referência para o desenvolvimento. Se preferir, com a ferramenta Eyedropper, retire referências cromáticas de uma foto já existente.

 

 

 

03 Suavização da imagem

Utilizando o mesmo pincel de borda suave, vá suavizando e mesclando os volumes para que a imagem fique sem marcações. Caso tenha dificuldades, utilize a ferramenta Blur para facilitar o resultado.
Depois, comece a fazer as marcações dos detalhes dos olhos, como pálpebras, cantos dos olhos, cavidades etc.
Dica Rápida 
Na parte superior dos olhos, faça uma leve sombra de profundidade. Na parte inferior, faça marcações de luz e brilho, conforme imagem do passo 02.

Criação de volumes

Utilize um pincel mais suave para gerar o sombreado. Altere a opacidade entre 6 e 10% para gerar os volumes de forma convincente e sem tantas marcações. Configure a tablet para utilizar a pressão para a pintura (Window> Brush> Shape Dynamis> Pen Pressure) dos volumes, conforme imagem mostrada abaixo.

04 Pintura da íris

Faça a pintura da íris com cores diversas, sempre pensando nas cores quentes e frias, assim o resultado será mais realista. Mesclar com tons neutros possibilita um realce considerável à ilustração.

Procure gerar sombras ao redor da pupila e, para os detalhes, utilize um pincel de tamanho 3px com uma intensidade entre 10 a 20% com tons em amarelo escuro, roxo e azul. Baseie-se em referências reais para fazer a pintura da íris, lembrando que esta é a parte principal e o detalhamento é imprescindível. Faça a transição dos detalhes da íris de forma orgânica e suave, e procure sempre dar suavidade ao redor dela e dentro dos olhos.

05 Detalhamento

Depois de todos os processos finalizados, inicia-se o detalhamento da imagem. Ela deverá estar semelhante à imagem ao lado para o refinamento. Com a pintura neste nível, comece a texturizar as áreas superiores e inferiores dos olhos, acrescentando rugas, brilhos, sombras e volumes. Procure deixar a imagem bem detalhada, isso é o que gera a atenção e beleza.

06 Brilhos e poros

Após os detalhes e refinamento, sua imagem final deve ficar desta forma. Crie cada detalhe em camadas diferentes assim, você terá um maior controle no desenvolvimento da pintura.
Faça os brilhos superiores e inferiores e as marcações de poros da pele intercalando tons claros e escuros. Pegando sempre com o conta-gotas os tons próximos de onde você estiver pintando de maneira que não haja grandes diferenças nos tons de pele.
Dica Rápida 
Para as texturas, rugas e cílios, você deve definir um pincel como a imagem abaixo (Edit> Define Brush Preset). Experimente com diferentes tamanhos e opacidades até chegar a um resultado coerente.

07 Últimos passos

Para detalhar a íris do olho, vamos levar em consideração a luz do sol e o céu azul. Assim, faremos os brilhos da imagem com essa base de referência.

Marque na parte superior dos olhos os brilhos principais e o que seria a luz do sol com reflexo do céu em azul (Luz Principal). Faça na parte de baixo da íris as luzes secundárias de reflexão. O reflexo de luz também será bem visível na parte inferior do olho, próximo à pálpebra inferior, gerando realismo e simulando a lubrificação. Por fim, com tinta preta, crie as sombras dos cílios sendo projetadas dentro do olho, e diminua sua opacidade.
Faça cada detalhe em camadas diferentes, de maneira que você tenha um maior controle no desenvolvimento da pintura.

Separamos os melhores portais online de formas personalizadas para Photoshop- o que é perfeito para quem não tem tempo de criar tudo do zero!

 

Estas linhas vetoria is podem ser personalizadas, redimensionadas e remoduladas como você quiser. Todos os objetos sob o sol podem ser transformados em formas personalizadas, mas é online que encontramos as melhores – o que é perfeito para quem não tem tempo de criá-las do zero.

Shapes4FREE

 

Custo: Gratuito

Site: www.shapes4free.com

Existem tantas formas no Shapes4FREE que você não saberá por onde começar. Talvez você esteja atrás de uma forma de lupa ou de objetos de cozinha? Ou ainda canecas de café para o design de um site? Qualquer que seja sua ideia, este é um ótimo local para iniciar sua busca.

All Silhouettes

 

Custo: Gratuito

Site: http://all-silhouettes.com

Uma imensa coleção de gráficos vetoriais gratuitos vive no All Silhouettes. Aqui você
acha desde pessoas, formas ornamentais, florais, até objetos aleatórios, símbolos e
signos. A pesquisa é feita na seção de elementos mais populares ou por palavras-chave.
Os vetores vêm dos artistas colaboradores ou do próprio All Silhouette.

myPhotoshopBrushes

 



Custo: Gratuito

Site: http://myphotoshopbrushes.com

O myPhotoshopBrushes possui uma vasta biblioteca de formas, enviadas por diversos artistas e todos gratuitos para download, e você pode até visitar o site do artista colaborador. Este site de recursos possui algumas das formas mais originais que já vimos – vale a pena dar uma olhada.

deviant ART

 

Custo: Gratuito

Site: deviantart.com

Um recurso que não deve ser deixado de lado, o deviantART oferece algumas d as melhores formas personalizadas que você pode encontrar. Busque em Vector Resources pelas formas que podem ser usadas no Photoshop e restrinja os resultados por data ou popularidade. Existem montes de outros recursos escondidos no deviantArt, por isso, não deixe de explorar o site para descobri-los.

pshero

 



Custo: Gratuito

Website: http://pshero.com

Com recursos gratuitos para a comunidade photoshopista, o pshero traz uma seleção de formas de qualidade. De guitarras elétricas, âncoras, coroas a garotas, ferramentas e surfistas, algumas são mais detalhadas que outras. Baixe, deixe seu comentário ou visite o site do artista colaborador.

PhotoshopShapes

 



Custo: Gratuito

Site: www.photoshopshapes.com

Navegue pelas categorias do PhotoshopShapes para descobrir formas de animais, desenhos animados, chamas, pessoas, esportes e muitas mais. Se você tiver suas próprias formas, pode também publicá-las no site.

Adobe Photoshop Exchange

 

Custo: Gratuito e a partir de $2

Site: http://tinyurl.com/ps-exchange

O Photoshop Exchange, da Adobe, permite que artistas contribuam entre si compartilhando recursos, seja para projetos de ilustração seja de webdesign. Existe um grande número de formas personalizadas gratuitas e pagas, incluindo ícones, botões Web, quadros decorativos e designs florais.

Ladyoak

 



Custo: Gratuito

Site: http://ladyoak.com

A inscrição é gratuita no Ladyoak e você ganha acesso a centenas de formas enviadas pelos usuários – quer você procure por signos do zodíaco, formas inspiradas em estações, molduras para sua arte ou formas de estrela para decorar um céu noturno.

Fontonic

 

Custo: Gratuito

Site: www.fontonic.com

Outro celeiro para os fãs de formas personalizadas, o Fontonic encontra formas em toda a Web e ajuda a encontrar o que deseja. Todas são gratuitas e o site possui centenas de assuntos. Elas são ótimas para incluir em designs vetoriais e ilustrações em geral.

Photoshopedia

 

 

Custo: Gratuito

Site: www.photoshopedia.com

Uma espécie de enciclopédia para os artistas do Photoshop, este recurso tem muito a oferecer, incluindo uma bela abundância de formas personalizadas. As imagens foram vetorizadas e oferecem possibilidades infinitas de redimensionamento, algumas mais detalhadas que outras, de banners decorativos a animais.