arquivo

Arquivo da tag: produção grafica

Pessoal!! Encontrei um texto muito completo e interessante sobre a definição de Produção Gráfica, para quem não sabe o que realmente fazemos, ou tenha algumas dúvidas.

produção gráfica  organiza e supervisiona a realização de peças gráficas. O setor de produção gráfica numa agência ou empresa editorial se ocupa na contratação de serviços e materiais, e pelo contato com os fornecedores gráficos, acompanha as etapas de produção gráficas.

A contratação de ilustradores, fotógrafos e demais colaboradores específicos é de responsabilidade do diretor de arte. A quatro etapas de produção gráfica são :

* Projetação – Nesta etapa ocorre o trabalho do designer no planejamento visual gráfico, esta etapa se encerra quando o trabalho é concluído e o original torna-se em arquivo fechado;

* Pré-impressão – Etapa em que são elaborados fotolitos para a produção das matrizes e da digitalização e edição de imagens complexas;

* Impressão -Inicia-se com a produção da matriz e ocorre o processo de impressão das cópias em máquinas específicas;

* Pós-impressão – Tudo o que ocorre após a impressão e antes do empacotamento das tiragens e cópias, é todo o acabamento desempenhado nos produtos impressos, como cortes, verniz, encadernação, etc.

Na composição manual de impressos utilizava-se o componedor que media as linhas, tipos metálicos de fontes, galé (bandeja para organizar os tipos) e a mesa de paginação. Os tipos eram justapostos sobre a bandeja que prensava o original. Na composição mecânica havia :

* Linotipo – Composições de linhas via teclado, com matrizes e caracteres e espaçadores, cada linha recebe o metal líquido para a impressão;

* Monotipo – Não mais por linha, e sim por tipos, os tipos (letras) eram separadamente perfurados em fita, através de teclado e perfurador, recebendo o metal líquido para impressão;

* Ludlow – Máquina específica para impressão de “caixa alta”, manchetes (letras maiores)

A fotocomposição era a composição de originais a partir de recursos fotográficos, o filme gera a matriz que vai para a máquina impressora, dando uma maior definição ao desenho do tipo. No processo de impressão há vários tipos de originais conforme o suporte utilizado :

* Original opaco – imagem cujo o suporte é o papel;
* Original transparente – Imagem cujo suporte é o acetato;
* Original translúcido – imagem cujo suporte é atravessado pela luz, mas a imagem não é atravessada pela mesma, ex: papel vegetal.

No processo de pré-impressão há o original em arquivo fechado e aberto:

* Original em arquivo aberto – Pode ser manipulável pelo birô da gráfica, salvos em *.cdr (corel draw) e *.psd (photoshop)

* Original em arquivo fechado – arquivo salvos em *.pdf ou *.tiff, não pode ser manipulável, somente para leitura e reprodução.

Fonte: InfoEscola (Fernando Rebouças)

André Sanchez

http://www.andresanchez.com.br

Por produção gráfica entende-se todas as fases envolvidas na materialização de um qualquer projecto gráfico. Pode ser um simples cartão de visita ou um complicado expositor que combina vários tipos de materiais e de técnicas. O designer ou criativo deve ter algumas noções básicas de produção gráfica para poder criar peças que sejam possíveis de produzir e não o contrário. O produtor gráfico é o profissional que pode ajudar o criativo nesta tarefa. Cabe ao produtor analisar a ideia do criativo e perceber a melhor forma de produzir essa mesma ideia. Qual o material aconselhado? Qual o processo ou processos de impressão a utilizar? E qual a gráfica indicada para fazer o trabalho? Após uma analise critica do projecto em causa é necessário orçamentar e perceber o tempo necessário para a sua produção. Após a aprovação dos orçamentos e dos prazos, tem inicio a produção com várias fases que devem ser controladas de perto para que se possa passar à fase seguinte sem surpresas

Por Conceição Barbosa

 

kairaamiella

Acho interessante mostrar qual é a compêtencia de um designer na sociedade e como ele é visto . pois nós seremos futuros designers e teremos que enfrentar varias situações e temos que estar preparados para tirar de letra isso !!!

O Design nunca foi tão visado, questionado, estudado e criticado como hoje. A sociedade contemporânea em que estamos inseridos é suscetível de diversas mudanças de valores culturais, econômicos e ideológicos. A sociedade é mantida por diversos fatos sociais, ou seja, coisas que são comuns a todos por consensos anteriormente aplicados através da coerção e da coesão. A maior questão é: O design (seja ele em suas diversas vertentes) é algo comum a todos?

 

O design é uma tendência que propaga nos diversos meios sociais, mais ainda não é dada a devida importância pela qual deveria de ser tratado, ou seja, algo que todos ( ou pelos o menos a grande massa) saiba a sua função e que é de extrema importância para o auxilio da sobrevivência do ser humano da sociedade contemporânea. O design não existe para um ser humano especifico, ele existe para atingir todos aqueles que vivem dentro da sociedade.

O designer é aquele que projeta que estuda, e concebe idéias e soluções exeqüíveis e tangíveis, numa sociedade que como nunca, necessita de clareza e rapidez para a compreensão das informações, conforto e ergonomia para o seu bem-estar. As pessoas mudaram, o mundo mudou. Somos bombardeados a todo tempo por informações diversas do levantar ao deitar; somos uma sociedade mais exigente. E o designer precisa saber como lidar com as necessidades emergentes no mercado.

É certo que o Design Gráfico perdeu um pouco do seu discurso poético, ideológico e cultural (como se via nos cartazes poloneses e russos séc.XIX e XX) pelo fato da sua grande associação está relacionado  a venda e a publicidade. É de suma importância que o designer gráfico como um agente social, entenda a sua própria sociedade e os seus fatos sociais, e construa a partir disso em seus projetos, discursos e expressões que seja capaz de produzir um efeito multiplicador, sendo ele compreendido e absorvido por todos.

A formação social, cultural e científica do designer é um outro fator a ser considerado. O bom designer é aquele que consegue transformar todos esses fatores em algo tangível. A formação social e cultural é coerciva, porém a cientifica precisa ser adquirida e aprimorada, para que o designer não se perca apenas em discursos ideológicos.

Como sabemos, não existe apenas uma solução para determinado problema, e nessa sociedade contemporânea, é importante que o designer saiba lidar com as mais diversas problemáticas, prezando pelo bem estar, a ética, e boa conduta social.

 

ESPERO MAIS UMA VEZ TER AJUDADO : RAFAEL MARTINEZ