arquivo

Arquivo da tag: photoshop

criar um cartão de visitas para ser impresso em gráficas, como o tutorial original vem dos Estados Unidos a unidade de medida usada será inches (polegadas), mas nada impede de que outras unidades sejam usadas, bastando fazer a conversão dos valores.

tutoriaisphotoshop.net

01. As medidas usadas no cartão criado neste tutorial seguem o padrão ISO 7810 ID-1 com as medidas padrão do Estados Unidos, a unidade usada para a inserção de linhas guia será em Inches (polegadas), com base nisso pressione Ctrl+N para criar um novo documento, defina o tamanho de 3.75×2.25 inches, 300 dpi´s e modo de cor em CMYK / 8 bits com Background em White, pressione Ok, agora vá em View> New Guide  e defina o valor de 0.125 in vertical, pressione Ok, repita o procedimento e adicione mais linhas guia nas posições 3.625 in vertical, 0.125 in horizontal e 2.125 in horizontal, seu documento deverá ficar parecido com o da foto abaixo.

tutoriaisphotoshop.net

02. Escolha a cor #343434 e pressione Alt+Backspace (a tecla acima do Enter) ou pressione a letra G do teclado para selecionar a Paint Bucket Tool e clique no documento para preencher a layer com a cor escolhida, clique duas vezes na layer e pressione Ok.

tutoriaisphotoshop.net

03. Vá em Layer> Layer Style> Gradient Overlay, defina um gradiente que vá do #ffffff para a cor #000000 com os valores abaixo.

tutoriaisphotoshop.net

tutoriaisphotoshop.net

04. Pressione Ctrl+J para duplicar a layer, clique com o botão direito do mouse sobre a layer e escolha a opção Clear Layer Style para retirar a Layer Style que foi aplicada, vá em Filter> Noise> Add Noise e defina os valores abaixo.

tutoriaisphotoshop.net

05. Vá em Filter> Blur> Motion Blur e defina os valores abaixo.

tutoriaisphotoshop.net

06. Mude o modo de blend da layer para Overlay e reduza a opacidade para 52%.

tutoriaisphotoshop.net

07. Vá em Image> Mode> RGB Color para mudar par ao modo de cor RGB, vá em Layer> Group Layers  para criar um novo folder na paleta de layers, pressione Ctrl+Shift+Alt+N para criar uma nova layer, deixe esta layer dentro do folder que criamos, pressione a letra D do teclado para resetar as cores de Foreground e Background para preto e branco, pressione a letra X do teclado para alternar as cores, pressione a letra P do teclado para selecionar a Pen Tool, verifique se a opção Shape Layers esteja selecionada.

tutoriaisphotoshop.net

08. Mude o modo de blend da layer para Difference.

tutoriaisphotoshop.net

09. Crie um novo shape usando o mesmo método, sua imagem deverá ficar como a da foto abaixo.

tutoriaisphotoshop.net

10. Mude o modo de blend da nova layer para Difference.

tutoriaisphotoshop.net

11. Vá em View> New Guide e defina o valor de 2in na horizontal para inserir uma nova guia nesta posição.

tutoriaisphotoshop.net

12. Pressione Ctrl+J para duplicar a layer, pressione a letra V do teclado para selecionar a Move Tool e posicione a cópia da layer como na foto abaixo.

tutoriaisphotoshop.net

13. Deixe o modo de blend da nova layer em Difference, sua imagem deverá ficar como a da foto abaixo.

tutoriaisphotoshop.net

14. Crie um novo shape como o da foto abaixo usando a mesma técnica.

tutoriaisphotoshop.net

15. Mude o modo de blend da layer para Difference, vá em Layer> Layer Style> Drop Shadow e defina os valores abaixo.

tutoriaisphotoshop.net

tutoriaisphotoshop.net

16. Adicione novas guias indo em View> New Guide, defina os valore de 0.25 in na vertical, 3.5 in na vertical e 0.25 in na horizontal.

tutoriaisphotoshop.net

tutoriaisphotoshop.net

17. Agora pressione a letra T do teclado para selecionar a Horizontal Type Tool, na barra de opções da ferramenta defina os valores abaixo para o nome e área de atuação do profissional, os textos devem ficar na área interna das Guides (Safe Zone).

tutoriaisphotoshop.net

tutoriaisphotoshop.net

tutoriaisphotoshop.net

18. Defina os valores abaixo na barra de opções da ferramenta e adicione os contatos.

tutoriaisphotoshop.net

tutoriaisphotoshop.net

19. Escolha a cor #99cc66 e modifique os principais contatos.

tutoriaisphotoshop.net

20. Adicione sua marca no rodapé do cartão, caso queira utilizar os mesmos valores usados no tutorial basta definir com na foto abaixo.

tutoriaisphotoshop.net

21. No caso deste tutorial a palavra foi posicionada de acordo com o S central para que ele ficasse alinhado com o a arte criada para o Background do cartão.

tutoriaisphotoshop.net

22. Mude o modo de blend da layer para Difference, vá em Layer> Layer Style> Drop Shadow e defina os valores abaixo.

tutoriaisphotoshop.net

23. Sua imagem deverá ficar como a da foto abaixo.

tutoriaisphotoshop.net

24. Vá em Image> Mode> CMYK Color para alterar o modo de cor do cartão para CMYK novamente, uma caixa de alerta irá aparecer, clique em Flatten, vá em File> Print e defina os valores abaixo.

tutoriaisphotoshop.net

25. Clique em Bleed e defina o valor de 0.125 in, escolha a como impressora a opção PDF e clique em Ok, depois basta enviar o arquivo para a gráfica.

tutoriaisphotoshop.net

tutoriaisphotoshop.net

Site de origem: http://www.hv-designs.co.uk/2011/01/17/hi-styled-print-ready-business-card-design/

Anúncios

A história por traz de Lambuja!

Publicado originalmente na edição número 42 da revista Photoshop Creative.

Pedro Henrique, mais conhecido no meio digital como Lambuja, é daqueles artistas que prezam pelo hiper-realismo em suas ilustrações, porém, sempre deixam um rastro de estilização.

Assim como muitos profissionais, já rodou pela publicidade e design, passando por vários setores até descobrir sua vocação definitiva para a ilustração. Atualmente, é bem conhecido por suas artes eróticas e cheias de personalidade, mas atua também como ilustrador profissional para a grande mídia digital.

Conheça um pouco mais deste artista, que se define como um “ilustrador em formação e marinheiro condecorado. Amante psicótico e profundo conhecedor de moluscos de jardim. Ladrão de isqueiros confesso.”

Quando você se convenceu de que era, de fato, um ilustrador profissional? Seu início de carreira foi muito difícil?

 

Na verdade eu só virei “ilustrador profissional” há dois anos, quando entrei para equipe de infografia do IG. Antes disso, trabalhei como decorador de festa (risos), animador 2D, webmaster (termo que nem deve existir mais), arte finalizador de vídeos corporativos e com mídia de ponto de venda. A vida sempre me empurrou pra isso porque sempre foi o que sei fazer melhor, mas tudo foi por um acaso.

Em seu portfólio há muitas ilustrações eróticas. Você quer se especializar neste nicho?

 

Não sei se posso dizer isso. A questão é que sempre gostei de desenhar mulher pelada e sacanagem, mas gostaria muito de ser reconhecido no mercado por conta das minhas ilustrações eróticas, sim, de ser procurado para trabalhos deste nicho. Acho que isso pode estar acontecendo neste momento.

E como o mercado editorial têm visto seus trabalhos eróticos?

Não sei, melhor perguntar pra ele [risos]. Mas acredito que exista um mercado latente e que a coisa vá crescer. O mundo está mais careta do que nunca, mas existem muitas revistas em que a temática sexual é o carro-chefe. E quando é assim, um desenho pode funcionar muito melhor do que uma foto para ilustrar uma matéria. Fica mais elegante, e os personagens envolvidos não precisam mostrar a cara.

Você faz diversos trabalhos para a banda Tokyo Savannah. O rock ‘n’ roll influencia seu estilo? Que tipo de música te inspira?

Rock ‘n’ roll, sem dúvida. Eu sempre quis fazer trabalhos pra bandas, mas nunca tinha me deparado com tão boa oportunidade até conhecer os caras do Savannah, rock ‘n’ roll sincero. Gosto muito do som e da estética da coisa toda. Tenho liberdade criativa e a total confiança deles.

Você tem algum trabalho favorito? Por quê?

O meu último, do pai do Popeye, simplesmente porque é o ultimo que fiz e o personagem é demais. Gosto de coisas que tenham a ver com o mar. E tem a capa do disco do Tokyo Savannah, que é o meu desenho que mais rodou o mundo e tem uma força que eu não sei dizer de onde veio.

Há algum artista que continua te inspirando?

Eu sempre tento montar listas desse tipo, mas é muito difícil. A cada semana descubro uma porção de novos nomes e trabalhos inspiradores. Hoje eu diria o Esao Andrews, o Shiko (derbyblue), Mathiole – de BH –, o Echepare – de Porto Alegre –, e o Will Murai, que trabalha comigo aqui no IG, que pude observar, e de tão generoso, me rendeu um baita upgrade no meu trabalho.

Dicas para futuros ilustradores

  • Parece óbvio, mas antes de ser um bom ilustrador, você tem que ser um bom desenhista.
  • Não viaje nessa história de “Enfant Terrible”. Pense que a cada dia você vai aprender um pouco mais e que o teu apogeu tem que se dar quando você for um sujeito maduro. Grande coisa ser um ás do Photoshop sem nada pra dizer.
  • Estude design pra exercitar o bom gosto (ou seja feliz sendo cafona, como eu).
  • Tenha um bom número de brushes para texturizações e aprenda a criar novos de acordo com a necessidade.
  • Sempre trabalhe com o arquivo grande, o maior possível, pra poder trabalhar com folga nos detalhes e para que renda um bom print.
  • Aprenda a usar SmartObjects.
  • Estude iluminação, a física toda, os preceitos da fotografia. Mesmo se for pra subverter tudo.
  • Tenha sempre um bom inimigo por perto pra te fazer críticas destruidoras e sinceras.
  • Tenha sempre um bom amigo por perto pra te fazer críticas construtivas e sinceras.
  • Acredite no rock ‘n’ roll e tenha bom-senso.

Uma série de imagens utilizando o Photoshop para resolver os problemas na Vida Real.

As imagens são uma criação do site Sadanduseless, que além de ótimas sacadas, elas dão a ideia do que faríamos se pudéssemos usar o Photoshop na vida real …

Transporte de móveis pesados, seria um prazer. Atravessar um rio seria muito fácil. Eu poderia facilmente acalmar um bebê chorando. Eu não iria ter problemas com maridos irados. Eu ficaria rico! Limparia facilmente as manchas de mostarda na minha camisa. Pintar as paredes levaria menos de 2 segundos

Fonte: Studio Manga Rosa

Postado por
Marcelo CAMPOS

O  site Worth 1000 desafiou os seus usuários a manipularem imagens, colocando celebridades atuais junto de estrelas do passado.

Algumas das imagens ficaram super bacanas, já outras nem tanto. Neste tipo de montagem é necessario tomar muito cuidado com as variações de luz e sombra, além da qualidade de cada foto.

Confira abaixo o resultado.

Fonte: Studio Manga Rosa

 

Postado por
Marcelo CAMPOS

Dúvidas na hora de utilizar o Photoshop? Então acompanhe várias dicas sobre ferramentas e efeitos

1 – Ferramentas escondidas
Para ter acesso a diversas ferramentas que estão escondidas no Photoshop, clique nos ícones na barra de ferramentas e mantenha o botão pressionado até surgirem várias opções.

2 – Janelas escondidas
Não consegue achar determinada janela? Acesse o menu Janelas (ou Window) e ative a que você procura.

 Nome das ferramentas
Como saber o nome de uma ferramenta? Mantenha o mouse sobre qualquer ferramenta para que seu nome seja exibido. Faça isso para se familiarizar com as ferramentas.

4 – Atalhos
Dê atenção aos atalhos no teclado, eles tornarão seu trabalho muito mais rápido e eficiente.

5 – Altere a cor de objetos
Para não perder detalhes de luz e profundidade, faça o seguinte: com a ferramenta Pincel, mude o modo para a opção Cor e selecione uma cor qualquer. Ao passar o pincel sobre a imagem, perceba a troca de cor em um efeito bastante interessante.


6 – Ocultando ferramentas
Teclando Tab, você pode ocultar/exibir as janelas e ferramentas do Photoshop. Isso ajudará bastante para visualizar melhor a imagem que está sendo trabalhada.

7 – Mova imagens com rapidez
Quando você estiver trabalhando em close na imagem, é mais rápido e prático movê-la pressionando a barra de espaço. A seta do mouse virará uma mão e você poderá mover a imagem como quiser.

8 – Seleções em forma geométrica perfeita
Ao usar as ferramentas de seleção, pressione a tecla Shift e você terá círculos e quadrados perfeitos.

9 – Aumentar e diminuir a tela de exibição de forma rápida
Use Ctrl e a tecla + conjuntamente para aumentar o close sobre a imagem e Ctrl e a tecla – para afastar a visualização da imagem.

10 – Modo máscara rápida (seleção)
Teclando Q, você estará no modo Máscara rápida, uma boa maneira para criar seleções/máscaras. Nesse modo, usar o pincel fará surgir uma seleção e a borracha irá desfazê-la. Ao voltar para o modo-padrão, teclando Q novamente, você verá a seleção pronta. Ideal para máscaras mais  complicadas.

11 – Retoques
Com a ferramenta Carimbo, você poderá fazer retoques avançadíssimos e com perfeição. Para tanto, pressione Alt e clique em um ponto qualquer da imagem. Solte o Alt e passe o pincel. Note que a parte que foi clicada com o Alt está sendo copiada. Para tirar uma espinha do rosto de alguém,por exemplo, basta copiar e colar um trecho de pele perfeito sobre a imperfeição.

12 – Perspectiva
Em Editar, Transformação, Perspectiva, você poderá adicionar ótimos efeitos de perspectiva. Basta mover a grade que se forma em volta da figura quando o efeito é acionado. Use para estilizar um texto e sinta a diferença.


13 – Adicionar seleções
Segurando a tecla Shift, você poderá somar seleções, compondo uma máscara mais precisa.

14 – Subtrair seleções
Por outro lado, pressionando Alt você subtrai seleções.

15 – Retoque com “remendos”
Você também pode retocar uma imagem, copiando e colando pedaço perfeito da imagem sobre trecho com problema. Para tirar as bordas deixadas quando colado o remendo, basta passar suavemente a borracha sobre as bordas do trecho colado.

16 – Copiar elementos com o carimbo
Além de retocar, podemos usar o carimbo para duplicar elementos. Da mesma forma que operamos na dica acima, você pode, na imagem de um céu estrelado, por exemplo, copiar uma estrela de um ponto para outro do céu com total perfeição.

17 – Converter texto em imagem
Em Camadas, Converter em bitmap, Texto, é possível transformar um texto em imagem. É uma opção importante, pois determinados efeitos e preenchimentos exigem que o texto esteja em forma de imagem.

18 – Redimensionamento rápido
Tecle Ctrl + T para redimensionar sua imagem de forma rápida.

19 – Ferramenta laço magnético
Para fazer uma seleção/máscara de forma rápida, use a ferramenta laço magnético. Ao passar o ícone próximo à extremidade de uma imagem, o laço faz automaticamente a seleção. É uma ferramenta recomendada somente para imagens mais simples.

20 – Preenchimento rápido
Clicando Alt + Del você preencherá, de forma rápida, seleções ou imagens inteiras.

21 – Organizar janelas
Em Janela, Organizar, há várias opções para organização de janelas, válidas para quando há muitas imagens abertas ao mesmo tempo.

22 – Imagens provenientes do scanner
Se você tem um scanner, é possível escanear uma imagem diretamente pelo Photoshop. Basta acessar Arquivo, Importar e selecionar o modelo de seu scanner. Isso fará com que a imagem já seja lançada dentro do próprio Photoshop quando for escaneada.

23 – Alterar tamanho do pincel
É possível alterar o tamanho do pincel simplesmente clicando em + ou – no teclado.

24 – Ferramenta corte demarcado
Selecione o trecho que você pretende manter na imagem e, em seguida, tecle Enter. Tudo o que não for selecionado pela moldura, será excluído.

25 – Corte preciso
Pressionando Shift ao usar a ferramenta corte demarcado, você obterá cortes com um quadrado  perfeito.

26 – Modo tela cheia
Para visualizar melhor sua imagem, altere o modo de exibição teclando F. Há como deixar a imagem ocupando a tela inteira.

27 – Sombra projetada
Em Camada, Estilo de camada, Sombra projetada, é possível criar ótimos efeitos de sombra, podendo alterar distância, opacidade e seu tamanho em relação à imagem.


28 – Copie uma cor preexistente
Com a ferramenta conta-gotas, você pode identificar a cor que está sendo usada em qualquer imagem. Ao clicar com ela, de imediato a cor selecionada será colocada como cor de primeiro plano.

29 – Fazer uma seleção
através de cores semelhantes Clique com a varinha mágica em uma cor específica de sua imagem e, em seguida, clique em Selecionar, Semelhante e tudo que tiver cor aproximada a que foi selecionada será adicionado à seleção.

30 – Variar cores da imagem
Em Imagem, Ajustes, Variações, você pode alterar levemente as cores de sua imagem inserindo aos poucos mais verde, ou vermelho, ou ciano etc. É uma ótima opção para ajustar imagens amareladas ou com cores mortas.

31 – Selecionar tudo
Teclando Ctrl + A, você cria uma seleção sobre toda a imagem.

32 – Duplicar camadas de forma rápida
Primeiramente selecione a imagem clicando Ctrl + A e, em seguida, copie e cole clicando Ctrl + C e Ctrl + V. Pronto,uma nova imagem exatamente igual a que você estava trabalhando foi criada.

33 – Restaurar cores-padrão
de primeiro e segundo plano Teclando D, você restaura as cores branco e preto do padrão de forma rápida.

34 – Transparência
Na janela de camadas, diminuindo a opacidade da camada, você cria um efeito de transparência, deixando transparecer a imagem abaixo da que está sendo trabalhada.

35 – Bloquear camada
Se você está trabalhando com muitas camadas, pode optar por bloquear algumas delas para evitar alterar alguma coisa sem perceber. Para isso clique na imagem da seta de quatro pontas na janela de camadas.

36 – Ocultar camada
Você pode optar também por esconder determinada camada. Basta clicar na figura do olho que fica ao lado de cada camada dentro da janela de camadas.

37 – Inverter seleção
Ao selecionar uma área, você pode inverter esta seleção clicando em Camada, Inverter. É uma boa dica para quando se precisa recortar uma figura de um fundo chapado, pois basta selecionar todo o fundo, inverter a seleção e recortar a imagem.

38 – Tamanho da tela de pintura
Em Imagem, Tamanho da tela de pintura, você pode aumentar a área da imagem que está trabalhando, expandindo ou retraindo-a, basta digitar a medida.

39 – Tamanho da imagem

Em Imagem, Tamanho da imagem, você pode alterar o tamanho real da imagem. Só fique atento na hora de aumentá-la demais, pois isso poderá deixá-la granulada.

40 – Tamanho real da imagem
Muita gente acha que o tamanho que se vê a imagem em 100% no Photoshop é o tamanho real dela, mas não é verdade. Você só saberá o tamanho correto da imagem indo à opção comentada no item anterior. Lá, você verá o tamanho exato da largura e da altura. Essas medidas é que determinam também o tamanho da impressão dessa imagem.

41 – Resolução da imagem
Uma informação imprescindível ao se trabalhar com uma imagem é saber qual é sua resolução. É também em tamanho da imagem que você pode conferir isso. Você pode diminuir a resolução, se não quiser ter uma imagem muito pesada, por exemplo, mas evite ao máximo aumentar a resolução da imagem, pois isso pode distorcê-la.

42 – Resolução para Internet
O padrão para imagens de Internet costuma ser de 72 dpis. Dificilmente você encontrará imagens com menos resolução que isso.

43 – Resolução para impressão em gráfica
Já para impressões em gráfica, o recomendado é 300 dpis, para que se tire o máximo de qualidade da imagem.

44 – Resolução impressão digital
Se você for imprimir a imagem em gráficas rápidas ou em sua casa mesmo, procure trabalhar com uma resolução em torno de 150 dpis.

45 – Tamanho da impressão
Uma forma de não só saber a medida para impressão, como também para visualizar a imagem é usando a ferramenta Zoom. Basta clicar com o botão direito sobre a imagem e, em seguida, selecionar o tamanho da impressão. O que você verá é o tamanho em que sua imagem será impressa.

46 – Otimizando o uso de janelas
Para evitar ter um monte de janelas abertas durante seu trabalho, monte todas que for precisar em uma. Para isso arraste as janelas pela orelha e insira todas em uma só janela. Depois, basta alterar clicando nas orelhas.

47 – Salvar para Web
Quando for usar a imagem para a Internet, salve usando a opção Salvar para Web, indo ao menu Arquivo. Imagens para Internet precisam ser o menos pesadas possível. Nessa janela, você poderá alterar o peso da imagem, sem perdas significativas de qualidade.

48 – Definindo novas cores
Você pode definir novas cores clicando em uma das duas cores que ficam na barra de ferramentas. Daí, é só selecionar com o cursor a cor que mais lhe agrade.

49 – Criar ação
É possível criar ações para procedimentos repetitivos. Vá à janela de ações e clique no botãoCriar nova ação e, em seguida, em Gravar. Tudo o que você fizer daí em diante será gravado. Quando estiver pronto, clique em Parar, e quando quiser rodar sua ação, basta clicar no botãoExecutar ação para que o Photoshop repita todo o procedimento.

50 – Salvar em JPG
Dica simples, mas importante. Se você estiver trabalhando em um arquivo PSD e quiser salvá-lo em JPG, bastar clicar em Arquivo, Salvar como e escolher JPG no item formato.

51 – Girar/redimensionar imagem
Em Editar, T livre, você poderá girar ou redimensionar sua imagem. Apenas clique e mova-a pela moldura que surgirá na imagem.

52 – Girar/redimensionar imagem rapidamente

Com Ctrl + T, você acessa o item transformação livre rapidamente.

53 – Salvar seleção
Em alguns casos é interessante salvar uma seleção/máscara para usá-la novamente mais tarde, principalmente quando você perdeu muito tempo criando uma máscara.
Para salvar, vá para Selecionar, Salvar seleção, determine um nome para a máscara e clique em OK. É também no menu Selecionar que você poderá carregar essa seleção.

54 – Efeito de chanfro e entalhe
Essa é uma ótima dica para destacar imagens e principalmente textos. Vá para Camada, Estilo de camada, Chanfro e entalhe e selecione uma entre as opções oferecidas na janela.

55 – Brilho e contraste
Uma boa maneira de ajustar luminosidade de imagens é usar a opção brilho e contraste. Vá para Imagens, Ajustes, Brilho e contraste e faça os ajustes necessários.

56 – Curvas
Se a opção brilho e contraste não resolver, você pode clicar em Imagens, Ajustes, Curvas para editar a luminosidade da imagem. Mova a curva que aparece nessa opção para aperfeiçoar a luz de sua imagem.

57 – Realçar sombras

Uma maneira rápida também de alterar a luminosidade clareando as sombras é usando a opção Sombra/realce em Imagens, Ajustes, Sombra/Realce.

58 – Efeito negativo
Em Imagens, Ajustes, Inverter, você pode simular um um efeito muito parecido com o de negativos de fotografia


59 – Efeito de reflexo de flash
Em Filtro, Acabamento, Reflexo de flash, você pode inserir um efeito fácil e muito bonito. Mova a luz com o mouse para onde achar conveniente e altere a percentagem do brilho.

60 – Seleção automática de camada
Selecione a ferramenta Mover e, no topo da janela, clique em Seleção automática de imagem. Essa dica é ideal para quem está trabalhando com várias camadas, pois permite que você acione a camada somente com um simples clique sobre ela.

61 – Textura bordado
Em Imagem, Textura, Bordado, você poderá fazer um excelente efeito de bordado. É bem simples de usar e você ainda pode alterar relevo e o tamanho dos quadrados.

62 – Mostrar caixa delimitadora
Ao lado da opção Seleção automática de camada, há a opção Mostrar caixa delimitadora. Ativando-a, você terá uma moldura fixa em volta da camada em que estiver trabalhando, podendo alterar seu tamanho ou girar a camada.

63 – Linhas retas ao usar pinceis
Pressionando Ctrl ao usar pincéis, você fará linhas retas, para cima ou para baixo.

64 – Ferramenta fatiar para Web
O Photoshop pode fatiar uma imagem para que ela seja incluída na Web. Fatiando uma imagem, você permite que o navegador carregue-a aos pedaços, tornando sua exibição mais rápida. Para fatiar, bastar passar a ferramenta Fatiar para Web sobre a imagem, para dividir em vários pedaços. Para salvar a imagem, use a opção Salvar para Web.

65 – Aumente a área de trabalho com a ferramenta corte demarcado
Selecionando a imagem com a ferramenta e esticando a grade para fora da imagem, você aumentará a área da imagem logo depois de teclar Enter.

66 – Pincel com efeito de dissolver
Selecione a ferramenta Pincel e, em Modo, altere para Dissolver. Os traços feitos a partir de então darão a impressão de que estão se dissolvendo.

67 – Guias
Depois de ativar a régua, você poderá inserir guias à sua imagem. Clique sobre a régua e arraste a guia para dentro da imagem. Muito útil para ações que necessitam de precisão.

68 – Distorcer texto
Escreva um texto qualquer e, na barra acima da janela, há a ferramenta criar texto distorcido. Com ela é possível dar várias formas aos textos.

70 – Preencher rapidamente
Tanto em camadas, como em textos, você pode preencher rapidamente com a cor de primeiro plano usando as teclas Alt + Del.

71 – Régua
Em Visualizar, Régua, você poderá ativar a régua para auxiliá-lo nos trabalhos que exigem mais precisão.

72 – Preferências da régua
Ao clicar duas vezes sobre a régua, você poderá mudar detalhes como a medida que ela está sendo representada, mudando de mm para cm, por exemplo.

73 – Preferências da guia
A dica acima também vale para as guias. Clicando duas vezes sobre elas, você poderá mudar características como cor ou estilo grade.

74 – Ferramenta borrar
Use esta ferramenta para fazer pequenos reparos, como imagens de rostos em close ou de pele. Clicando nela você pode esconder pequenas imperfeições da imagem. A ferramenta borrar é a mão com o dedo indicador apontando na barra de ferramentas.

75 – Opacidade do pincel
Você pode alterar opacidade do pincel clicando na ferramenta e, em seguida, alterando a percentagem na parte superior da janela.

76 – Ferramenta classificar por cores
Com essa ferramenta, você pode identificar exatamente a cor que preenche determinado trecho da sua imagem. A ferramenta poderá lhe fornecer as informações em CMKY ou RGB, por exemplo.

77 – Quando usar RGB ou CMKY?
O critério é simples. Se a imagem é para uso virtual e não será impressa em gráfica, use RGB. Se você for mandar a imagem para impressão em gráfica, é preciso alterar o modo para CMYK. Essas alterações podem ser feitas em Imagem, Modo.

78 – Alternar imagens abertas
Quando você tiver muitas imagens abertas ao mesmo tempo, é fácil alterná-las teclando Ctrl + Tab.

79 – Ocultar somente janelas
Você pode ocultar somente as janelas, mantendo a barra de ferramenta. Basta teclar Shift + Tab.

80 – Ferramenta com cursor mais preciso
Ao teclar Caps Lock, você transforma o cursor da ferramenta em uma forma mais precisa para trabalhos que necessitem de mais detalhes.

81 – Reverter
Fez alguma bobagem em seu arquivo e estragou seu trabalho? Reverta para o momento em que seu arquivo foi salvo pela última vez, clicando em Arquivo, Reverter.

82 – Dégradé sobre a imagem
Nas opções do dégradé, você pode alterar o modo para Cor, possibilitando o preenchimento sem se perder a imagem em que o dégradé estará sendo aplicado.

83 – Linhas
Na ferramenta Linha, você pode criar traços de vários pesos diferentes, bastando clicar e arrastar a ferramenta sobre a imagem. Vale lembrar que pressionando Shift serão feitos traços retos na horizontal ou vertical.

84 – Sombra interna
Em Camada, Estilo de camada, Sombra interna, você poderá criar uma sombra projetada para dentro da camada.

85 – Ferramenta superexposição
Ativando essa ferramenta na barra de ferramentas, você conseguirá fazer pequeno ajustes de luz e claridade sobre as imagens.

86 – Ferramenta dégradé
Ótima opção para preencher espaços em branco, fundos de imagens ou camadas. Ative o dégradé na barra de ferramentas e na parte superior da janela é possível editar cores e formatos para o preenchimento.

87 – Modelos predefinidos de dégradé
Nas opções da ferramenta, há modelos interessantes predefinidos para uso do dégradé. Há boas sugestões para uso, confira!

88 – Latas de tinta
Use essa ferramenta para preencher espaços ou seleções com a cor de primeiro ou segundo plano.

89 – Ferramenta nitidez
Essa ferramenta possibilita o aumento da nitidez, por onde ela é passada, mas serve unicamente para pequenos ajustes. Deve-se usá-la levemente para não causar danos à imagem.

90 – Ferramenta medir
É uma forma bastante eficiente para se medir um trecho da imagem. Basta clicar de um ponto a outro para receber a informação de quanto mede o trecho. Procure usar essa ferramenta pressionando Shift.

91 – Laço poligonal
É a maneira mais rápida para selecionar figuras ou formas que não sejam muito rebuscadas. Acione a ferramenta na parte superior da barra de ferramentas e vá clicando em volta da imagem a ser selecionada, até fechar a seleção voltando ao ponto do primeiro clique.

92 – Desfazer seleção
Teclar Ctrl + D é a maneira mais rápida de desfazer uma seleção.

93 – Ferramenta carimbo-padrão
Essa ferramenta permite fazer preenchimentos com padrões preexistentes no Photoshop. Na parte superior da janela, pode-se mudar esses padrões.

94 – Duplicar a camada
Outra forma de duplicar uma camada é clicando com o botão direito do mouse sobre ela na janela de camadas e, em seguida, clicar em Duplicar camada.

95 – Mesclar todas as camadas
Você pode chapar todas as camadas em uma, indo em Camada, Mesclar camadas visíveis.

96 – Mesclar camadas rapidamente
Basta clicar Ctrl+ Shift + E.

97 – Mesclar para baixo
Nessa opção, você mescla somente a camada em que está trabalhando com a que vem logo abaixo dela, deixando todas as outras como estão.

98 – Mesclar para baixo rapidamente
Clique CTRL+ E.

99 – Arquivos com transparência
Para salvar um arquivo com fundo transparente, a melhor maneira é salvando no formato PNG, indo a Arquivo, Salvar como, Formato, PNG.

100 – Selecionar tudo
Teclar Ctrl + A é a maneira mais rápida de selecionar toda a imagem ou camada em que se está
trabalhando.

 

E muito mais no link: http://www.photoshopcreative.com.br/dicas/aq0-124-7134-1-207+dicas+de+photoshop.html

 

Fonte: http://www.photoshopcreative.com.br

Neste tutorial, você aprenderá os passos básicos de uma convincente pintura realística para olhos!

Especialista

    Rodrigo Sória

Rodrigo Sória, nascido em 1985, estudou desenho artístico, ilustração e desenho publicitário. Trabalha como freelancer e desenvolve projetos de computação gráfica em geral.

http://rodrigosoriacampos.blogspot.com/

  

Arquivos Iniciais

Nosso tutorial não possui arquivos iniciais. O desenho e o pincel podem ser feitos diretamente por você.

Neste tutorial, você aprenderá os passos básicos de uma convincente pintura realística para olhos. Tudo começa com um esboço simples, que pode ser feito diretamente na tela ou, se você for do tipo perfeccionista, escaneado de um desenho feito anteriormente. Tenha em mente que noções básicas de pintura, como aplicação de volume com luzes e sombras, é fundamental para qualquer tutorial de pintura realística no Photoshop – e este caso não é exceção. Para facilitar, você pode pegar uma foto como referência. Ela lhe mostrará os locais corretos para a aplicação de luzes, principalmente porque os olhos são áreas molhadas e reflexivas.

Aqui também é uma boa oportunidade para a criação de seus próprios pincéis. Textura de pele, luzes, cílios e pelos podem ser produzidos com um único pincel. Teste o modelo que mais lhe agrada.


01 Esboço do desenho

Com o auxílio de uma pen tablet ou por meio de um desenho escaneado, faça um rápido esboço para estabelecer as formas principais do olho.
Em uma camada abaixo, defina o tom de pele.

02 Cores básicas

Crie uma nova camada, e com um pincel de dureza média e opacidade média, comece a utilizar as cores básicas que vão compor o olho, como sombras e luzes. Amplie de forma considerável a janela de visualização para começar a detalhar algumas áreas, gerando os volumes necessários. Utilize sempre imagens de referência para o desenvolvimento. Se preferir, com a ferramenta Eyedropper, retire referências cromáticas de uma foto já existente.

 

 

 

03 Suavização da imagem

Utilizando o mesmo pincel de borda suave, vá suavizando e mesclando os volumes para que a imagem fique sem marcações. Caso tenha dificuldades, utilize a ferramenta Blur para facilitar o resultado.
Depois, comece a fazer as marcações dos detalhes dos olhos, como pálpebras, cantos dos olhos, cavidades etc.
Dica Rápida 
Na parte superior dos olhos, faça uma leve sombra de profundidade. Na parte inferior, faça marcações de luz e brilho, conforme imagem do passo 02.

Criação de volumes

Utilize um pincel mais suave para gerar o sombreado. Altere a opacidade entre 6 e 10% para gerar os volumes de forma convincente e sem tantas marcações. Configure a tablet para utilizar a pressão para a pintura (Window> Brush> Shape Dynamis> Pen Pressure) dos volumes, conforme imagem mostrada abaixo.

04 Pintura da íris

Faça a pintura da íris com cores diversas, sempre pensando nas cores quentes e frias, assim o resultado será mais realista. Mesclar com tons neutros possibilita um realce considerável à ilustração.

Procure gerar sombras ao redor da pupila e, para os detalhes, utilize um pincel de tamanho 3px com uma intensidade entre 10 a 20% com tons em amarelo escuro, roxo e azul. Baseie-se em referências reais para fazer a pintura da íris, lembrando que esta é a parte principal e o detalhamento é imprescindível. Faça a transição dos detalhes da íris de forma orgânica e suave, e procure sempre dar suavidade ao redor dela e dentro dos olhos.

05 Detalhamento

Depois de todos os processos finalizados, inicia-se o detalhamento da imagem. Ela deverá estar semelhante à imagem ao lado para o refinamento. Com a pintura neste nível, comece a texturizar as áreas superiores e inferiores dos olhos, acrescentando rugas, brilhos, sombras e volumes. Procure deixar a imagem bem detalhada, isso é o que gera a atenção e beleza.

06 Brilhos e poros

Após os detalhes e refinamento, sua imagem final deve ficar desta forma. Crie cada detalhe em camadas diferentes assim, você terá um maior controle no desenvolvimento da pintura.
Faça os brilhos superiores e inferiores e as marcações de poros da pele intercalando tons claros e escuros. Pegando sempre com o conta-gotas os tons próximos de onde você estiver pintando de maneira que não haja grandes diferenças nos tons de pele.
Dica Rápida 
Para as texturas, rugas e cílios, você deve definir um pincel como a imagem abaixo (Edit> Define Brush Preset). Experimente com diferentes tamanhos e opacidades até chegar a um resultado coerente.

07 Últimos passos

Para detalhar a íris do olho, vamos levar em consideração a luz do sol e o céu azul. Assim, faremos os brilhos da imagem com essa base de referência.

Marque na parte superior dos olhos os brilhos principais e o que seria a luz do sol com reflexo do céu em azul (Luz Principal). Faça na parte de baixo da íris as luzes secundárias de reflexão. O reflexo de luz também será bem visível na parte inferior do olho, próximo à pálpebra inferior, gerando realismo e simulando a lubrificação. Por fim, com tinta preta, crie as sombras dos cílios sendo projetadas dentro do olho, e diminua sua opacidade.
Faça cada detalhe em camadas diferentes, de maneira que você tenha um maior controle no desenvolvimento da pintura.

História

O software Photoshop foi concebido em 1987, por Thomas Knoll, na Califórnia, Estados Unidos. Knoll estava em casa trabalhando em sua tese de doutorado, quando criou um código em seu computador que exibia imagens em tons de cinza em um monitor de bitmap preto e branco. Como o código não estava diretamente relacionado à sua tese de doutorado, Knoll subestimou o seu valor. Mal sabia ele que esse era o primeiro esboço do fenômeno Photoshop.

Só mais tarde, quando seu irmão John Knoll se encantou pelo programa, ele percebeu seu potencial. Ambos trabalharam juntos para desenvolvê-lo e em 1990 o viram lançado pela Adobe, que havia comprado o programa.

 

Desenvolvimento

Os irmãos Thomas Knoll e John Knoll iniciaram o desenvolvimento do Photoshop em 1987 e a versão 1.0 foi lançada pela Adobe em 1990. O programa era destinado desde o início como ferramenta de manipulação de imagens provenientes de digitalizadores, que eram raros e dispendiosos naquela época.

 

Características

Apesar de ter sido concebido para edição de imagens para impressão em papel, o Photoshop está a ser cada vez mais usado também para produzir imagens destinadas à World Wide Web. Até a versão 9.0 (CS2) o programa, o Adobe ImageReady, muito semelhante ao Photoshop, que era utilizado em conjunto para a edição e criação de imagens e animações para a internet. A partir da versão 10 (CS3), os recursos do Adobe ImageReady estão incluídos dentro do próprio Photoshop.

O Photoshop também suporta edição com outros tipos de programas da Adobe, especializados em determinadas áreas: o já referido Adobe ImageReady (edição de imagens para a web), Adobe InDesign (edição de texto) Adobe Illustrator (edição de gráficos vectoriais), Adobe Premiere (edição de vídeo não-linear), Adobe After Effects (edição de efeitos especiais em vídeo) e o Adobe Encore DVD (edição destinada a DVDs). Os formatos de arquivos nativos do Photoshop (PSD ou PDD) podem ser usados entre estes programas. A título de exemplo, o Photoshop CS permite fazer elementos da interface gráfica de DVDs (menus e botões), desde que dispostos separadamente no ficheiro original (PSD ou PDD) por camadas (layers) agrupadas por ordem específica, de forma que, ao ser importado pelo Adobe Encore DVD, este consiga criar a edição para DVD com esses elementos.

O uso das camadas não é um recurso novo inventado pelos desenvolvedores do Photoshop, ele foi desenvolvido há muito tempo pelos ilustradores. Segundo Richard Valliere em seu livro, Manipulator of Movement: “[…]em dezembro de 1914 é patenteada aquela que efectivamente foi a maior contribuição técnica para a animação tradicional até o advento da computação gráfica: o desenho sobre folhas de celulóide transparente – em português vulgarmente chamada de acetato”. Essa inovação coube ao animador norte-americano Earl Hurd.”[1]

Portanto, é mais um recurso existente no mundo real que foi aproveitado pela ferramenta Photoshop para facilitar o trabalho de seus usuários, assim como certos efeitos que reproduzem técnicas de pintura, máscaras, uma técnica muito utilizada em gráficas e impressão offset.

Os formatos de ficheiros nativos podem ser importados de programas da concorrência, como o Corel Photo-Paint, Pixel32, WinImages, GIMP, Corel Paint Shop Pro, etc.

O Photoshop suporta vários espaços de cor (color spaces):

A versão mais recente, de 2008, é a versão 11.0 Também chamada de “Photoshop CS4”, uma vez que “CS” indica a sua integração no pacote de programas Adobe Creative Suite; quanto ao número “4” é por ser a quarta versão, desde que a Adobe reformulou a imagem de marca dos seus programas, sobre a “marca-mãe” (no inglês umbrella brand) “Creative Suite”. Numa tentativa de se separar da imagem de marca anterior do Photoshop, entre as versões 3 e 7, em que apresentava o olho humano (num conceito de visão e imagem), nas duas primeiras versões do “Creative Suite” utiliza imagens de penas estilizadas (como referência à escrita e pintura com penas de aves), mais recentemente, já na terceira edição do “CS”, a imagem foi alterada para um quadrado com as letras “PS” ao centro.

Recentemente, a Adobe incluíu o Adobe Camera RAW, um plugin desenvolvido por Thomas Knoll que permite ler vários formatos de ficheiros RAW, provenientes principalmente de máquinas fotográficas profissionais. Uma versão preliminar deste plugin esteve opcionalmente disponível para o Photoshop 7.0.1 a $99 dólares americanos.

Enquanto o Photoshop é praticamente utilizado por profissionais, monopolizando mesmo este mercado, o seu preço elevado, deixa margem para outros programas concorrentes, ganharem mercado noutras faixas, como por exemplo, o GIMP, um programa gratuito. De forma a competir com este mercado, e também para combater a pirataria de que o Photoshop é alvo, a Adobe lançou um programa semelhante para o mercado doméstico, o Adobe Photoshop Elements, mas com muitas funções profissionais removidas do Photoshop original. Enquanto o Adobe Photoshop CS3 é vendido por sensivelmente 800 euros (versão inglesa), o Adobe Photoshop Elements 4.0 custa apenas 130 euros, de forma a ganhar terreno no mercado doméstico. Sendo mesmo, por vezes incluído em digitalizadores de diversas marcas. Como é óbvio, esta versão “reduzida” não se adequa ao mercado de pré-impressão profissional, visto uma das principais características removidas deste software seja o modo de cores CMYK.

O Photoshop não suporta nativamente muitos dos algoritmos de imagem (Image Arithmetics) que o Corel Paint Shop Pro e outros editores de bitmaps utilizam. No entanto, esse problema pode ser contornado através do Filter Factory, um plugin gratuito disponível nos discos de instalação do Photoshop, após a versão 3.0.

 

Impacto cultural

O termo photoshopping (também “photoshopar” no Brasil) é um neologismo que significa “editar uma imagem” independentemente do programa que se utilize (de forma similar ao neologismo Googlar). A Adobe desencoraja o uso do termo devido ao receio de distorcer a imagem de marca da empresa.[2] O termo “photoshop” também é usado como substantivo relativamente à imagem alterada. São termos populares utilizados por membros de sites como “Something Awful”, “Fark.com”, “B3ta” e “Worth1000”. O objectivo de alterar uma imagem é torná-la humorística ou inteligente, muitas vezes através de referências a piadas e à cultura pop. Numa vertente mais recente neste âmbito é a chamada fake (traduzida por falso), em que se alteram imagens parodiando figuras célebres, com imagens de nus ou pornográficas. Surgiram até concursos de Photoshop em que profissionais e amadores competiam para mostrar as suas capacidades de edição de imagens nestas vertentes.

O termo é também por vezes utilizado por artistas, para se referir a imagens que tenham sido retocadas (retouched) ao invés das imagens originais. Um problema comum entre os vários tipos de utilizadores do Photoshop é evitar que os seus trabalhos se pareçam com o “aspecto Photoshop” (intrínseco entre todos os programas de edição de imagem).

Também recentemente, o Photoshop é usado para alterar e desenhar veículos, normalmente carros, processo esse, denominado por digi-modding, photoshopping ou tuning virtual. Já são muitos os sites que se dedicam a este aspecto, e este novo tipo de “arte” tem-se expandido. E apesar dos sites, permitirem às pessoas mostrarem os seus carros, publicamente na internet, os carros manipulados digitalmente já existem há muito tempo nas revistas de automóveis.

 

Formato PSD

Formato padrão da Adobe para documentos do Photoshop. Possui muitos recursos extras como imagens por camadas. Este formato é suportado por pouquíssimos programas fora o Adobe Photoshop.

 

Fonte:    http://pt.wikipedia.org