arquivo

Arquivo da tag: Kaira Miella

 

O Estúdio Francês Grapheart, tem sua sede principal em Paris desenvolvendo illustrações para estampas de camisas e peças publicitárias. Muito legal o trabalho do pessoal. Se você quiser encontrar mais artes da Grapheart entre em seu Facebook ou em seu Blog

Anúncios

Vocês sabiam que a Coca Cola introduziu, em 2009 nos Estados Unidos, máquinas de refrigerantes com diversos sabores que não estavam disponíveis no mercado?

Além disso, você tinha a liberdade de misturar sabores de acordo com o seu gosto.

São 125 sabores à sua escolha.

Os ingredientes são misturados de uma só vez para o perfeito derramar .

Tudo com o toque de um botão.

As máquinas tem tela touch screen e são super bacanas.

Os sabores Coca-Cola Freestyle incluem:

Coca-Cola com Laranja
Coca-Cola com Lima
Coca-Cola com Framboesa
Coca-Cola com Limão
Cherry Vanilla Coke
Diet Cherry Vanilla Coke
Caffeine-Free Diet Cherry Vanilla Coke
Cherry Vanilla Coke Zero
Sprite com Laranja
Sprite com Vanilla
Sprite Zero com laranja
Sprite Zero com Vanilla
Barq’s Vanilla
Diet Barq’s Vanilla
Lemon Lime Seagram Seltzer
Minute Maid Lemonade Fruit Punch
Minute Maid Lemonade Luz Fruit Punch
Oi-C Raspberry de Lima
Oi-C Laranja Vanilla

(Alguns sabores eu não traduzi porque não sei, rsrs)

 

kairaamiella

 A fotografia é um recurso muito utilizado por designers e profissionais da área para a criação de diversos tipos de produtos como banners, cartazes, flyers, outdoor e até mesmo cartões de visita. Mas poucos designers sabem como ocorreu a evolução da fotografia, seu conceito funcional e artístico.

A palavra fotografia vem do grego φως [fós] (“luz”), e γραφις [grafis] (“estilo”, “pincel”) ou γραφη grafê, e significa desenhar com a luz. A fotografia nada mais é do que a técnica de, por meio da exposição luminosa, fixar imagens sobre uma superfície fotossensível. O primeiro a desenvolver e experimentar foi o francês JosephNicéphoreNiépce em 1826, posteriormente Louis Daguerre em 1835 descobriu o processo de fixação com uma placa revestida e sensibilizada com iodeto de prata. Veja aqui a evolução da fotografia.

 A foto tem o poder de influenciar de forma efetiva a visão, potente estimulador cerebral. Quando estimulado de forma correta o cérebro tende a valorizar uma imagem bem localizada, que utiliza cores e formas, contrastes que tenham por objetivo valorizar o material, texto, produto ou campanha publicitária.

A fotografia agrega um forte traço de realidade e beleza à criação. O processo criativo também depende do nível de formação do designer. Pois dentro da fotografia existem muitas técnicas e formas de segmentar o seu uso. Ela já possui em si divisões categóricas, vejamos algumas:

●      Fotografia publicitária

Tem por intuito evidenciar as formas e texturas dos produtos para campanhas publicitárias.

●      Fotografia documental

Tem por objetivo efetuar o registro documental.

●      Fotojornalismo

Parte fundamental para os meio de comunicação, tem como objetivo o registro do factual.

●      Fotografia de eventos

Forma de registro para eventos diversos, casamentos, reuniões etc.

●      Fotografia de paisagem

Efetua o registro de paisagens e animais inseridos na natureza.

●      Fotografia arquitetônica

Registra a forma geométrica de prédios e esculturas.

●      Fotografia artística

Tem por objetivo registrar e recriar imagens de forma artística, seja por meio de manipulações ou não.

Vários fotógrafos são referência nacional e internacional.

Henri Cartier Bresson (Fotodocumental)

Bresson é apontado como um dos melhores fotógrafos da historia, possui diversas obras reconhecidas pelo mundo todo.

Sebastião Salgado (Fotojornalismo)

Referencia brasileira, Salgado é internacionalmente reconhecido, ex-ecônomo, abandonou a próspera carreira para se tornar um dos maiores fotógrafos brasileiros.

Nair Benedictus (Foto artística)

 

Contratada pela UNICEF  para registrar a imagem da mulher e criança latino-americana, Nair possui um vasto repertório muito valorizado em diversos países. Trabalha em um misto de fotojornalismo e fotografia arte.

 

Kevin Carter (Fotojornalismo)

Premiado fotografo ganhou premio prêmio Pulitzer. 

A foto é sobre a cobertura da gerra no Sudão.

Mario Testino(Fotografia de moda)

Famoso fotógrafo de moda, trabalha para uma das maiores revistas de moda do mundo, a Vogue.

Hudson Garcia

Fotografia de paisagem

Este fotógrafo tem um belo trabalho com registros do Parque Nacional de iguaçu, é referência na fotografia da natureza do estado do Paraná.

     

Use a criatividade com belas imagens e dê mais beleza e sofisticação aos seus trabalhos. Desenvolva projetos conforme o ramo que você trabalha. Muitos trabalhos são solicitados para designers que possuem conhecimentos em fotografia, justamente por saberem selecionar boas imagens e ou produzi-las sabendo evidenciar as características do produto mediante o controle da luz (para objetos dentro da fotografia publicitária) ou contrastes e iluminação de pessoas (moda e campanhas diversas).

 

kairaamiella

Um problema que atinge em torno de 10% da população masculina é o daltonismo, doença de origem genética e sem cura. Uma pessoa com visão normal é capaz de enxergar cerca de 30.000 cores. Já os daltônicos identificam apenas entre 500 e 800 cores. O daltonismo (também chamado de discromatopsia ou discromopsia) é uma perturbação da percepção visual, caracterizada pela incapacidade de diferenciar todas ou algumascores. Esta perturbação tem normalmente origem genética, mas pode também resultar de lesão nos órgãos responsáveis pela visão, ou de lesão de origem neurológica. Faça um teste aqui.

Nos últimos anos, existe uma tendência no mercado em suprir a demanda para os deficientes em quase todas as áreas. Embalagens em Braile, e diversos outros tipos de produtos e técnicas que visam incluir e abastecer as demandas para este público.

O designer português Miguel Neiva desenvolveu um sistema de símbolos que permite que pessoas com este tipo de deficiência visual identifiquem as cores, chamado de ColorADD®, o código foi desenvolvido durante oito anos de pesquisa, quando o então estudante de mestrado quis desenvolver um projeto para auxiliar a identificação das cores pelos deficientes visuais.

O daltonismo é divido em 3 categorias: Monocromacias, Dicromacias e Tricromacias Anómalas.

Em pesquisas feitas durante o desenvolvimento do projeto o designer constatou que 90,2% dos portadores da deficiência pedem ajuda para comprar roupas e 41,5% sentem dificuldade de integração social.

“Queria criar um conceito de design que se transformasse em uma ferramenta para melhorar a vida. A cor e a forma são os principais elementos da comunicação universal”, afirmou o designer em entrevista à Folha de SP.

Este sistema universal de identificação de cores para daltônicos, tem por finalidade indicar/utilizar o amarelo, azul e vermelho, representados por símbolos gráficos de fácil memorização. A soma dessas cores permite relacionar símbolos – identificando facilmente as cores que o representam, além do preto e do branco que também têm seus símbolos correspondentes para melhor orientar nas tonalidades claras e escuras.

O código consiste em pequenos símbolos que identificam as cores primárias azul, amarelo e vermelho. A união de dois símbolos identifica as cores secundárias como o verde, que é o amarelo combinado com o azul.

O preto e o branco são identificados por pequenos quadrados. O que simboliza o preto é cheio, enquanto o branco é vazio. Eles podem vir combinados aos símbolos das outras cores para identificar se são claras ou escuras.

Veja como um daltônico enxerga.

O projeto desenvolvido por Neiva já conta com o apoio do governo português e a admissão do sistema por vários países. O próximo projeto do designer é em escolas onde uma equipe realizará testes de daltonismo gratuitos. Se você conhece alguém ou sente dificuldades procure auxílio médico.

E você designer que procura novas tendências ou especializar-se em segmentos específicos, vale a pena investir na criação e desenvolvimento para o público dos deficientes visuais.

 

kairaamiella

Por produção gráfica entende-se todas as fases envolvidas na materialização de um qualquer projecto gráfico. Pode ser um simples cartão de visita ou um complicado expositor que combina vários tipos de materiais e de técnicas. O designer ou criativo deve ter algumas noções básicas de produção gráfica para poder criar peças que sejam possíveis de produzir e não o contrário. O produtor gráfico é o profissional que pode ajudar o criativo nesta tarefa. Cabe ao produtor analisar a ideia do criativo e perceber a melhor forma de produzir essa mesma ideia. Qual o material aconselhado? Qual o processo ou processos de impressão a utilizar? E qual a gráfica indicada para fazer o trabalho? Após uma analise critica do projecto em causa é necessário orçamentar e perceber o tempo necessário para a sua produção. Após a aprovação dos orçamentos e dos prazos, tem inicio a produção com várias fases que devem ser controladas de perto para que se possa passar à fase seguinte sem surpresas

Por Conceição Barbosa

 

kairaamiella