Tabela de preços de design

O e-mail que mais recebo, de longe, é “Onde encontro uma tabela de preços para logo, flyer, site, banner, etc?”. Embora eu já tenha um artigo de como calcular quanto você deve cobrar, admito que ele é um pouco antigo e não tão completo. Então, neste artigo, vou ir mais a fundo na parte de tabela de preços.

 

Antes de mais nada, não existe um preço fixo de mercado na área do design. Algo que custa R$ 1.000 em São Paulo pode custar R$ 500 em Curitiba (pela mesma qualidade). E mesmo dentro de cada cidade os preços variam grotescamente, dependendo da qualidade do serviço, do produto e do conhecimento do profissional.

Um designer iniciante cobra menos que um escritório bem estabelecido no mercado. E um micreiro* cobra menos que o designer iniciante. Mas isto não quer dizer que o cliente vai sempre preferir o serviço mais barato – afinal de contas, o micreiro não vai ter o conhecimento e experiência que um designer sênior ou o escritório de designers bem estabelecido no mercado. Existem clientes para todos os tipos de mercado.

E por causa da competitividade da área, não existe como criar uma tabela padrão que todos devem seguir pois nem sempre a tabela se aplica aos clientes – a padaria do Seu José na esquina da sua casa não pode pagar R$ 5.000 por um logo, assim como cobrar R$ 500 para fazer a intranet mundial de gerentes de contas do HSBC não faria sentido pelo tanto de trabalho que você terá.

“Como faço para calcular o valor do meu logo, flyer, site, etc?”

Já que seguir uma tabela é uma tarefa infrutífera, o ideal é criar a sua própria tabela. Mas como criar sua própria tabela de preços? Não é uma tarefa fácil.

Primeiro você precisa saber quanto tempo em média você leva para fazer uma determinada tarefa – vamos usar “desenvolvimento de logo” como exemplo. Ninguém pode te ajudar a determinar isto, então não me mande e-mails perguntando “Quanto tempo devo demorar pra desenvolver um logo?”. O único jeito de descobrir quanto tempo você demora para fazer uma tarefa é tirando a média de vários projetos.

Vamos supor que, em média, você demore 2 horas para analisar um briefing, 7 horas de pesquisa, 10 horas para gerar alternativas e escolher uma ou duas, 5 horas para digitalizar e mais 2 horas para criar uma defesa do seu projeto. Totaliza 26 horas em média. Trabalhando 5 dias por semana, das 9h até as 18h, seu logo deve ficar pronto em mais ou menos 3 dias assumindo que você irá focar 100% do seu tempo somente nisto e nada mais.

Neste exemplo, você trabalharia 180 horas por mês (20 dias úteis por mês) e deseja ter um salário de R$ 5.400, fazendo com que sua hora de trabalho custe R$ 30 (R$ 5.400 / 180h). Em média, o custo para desenvolver seu logo seria de R$ 780. Taí seu preço de tabela para desenvolver um logo.

Claro que esse valor é apenas um exemplo, pois você precisa levar em conta muita coisa antes de poder definir (seu público-alvo de clientes, relação qualidade de serviço / duração do projeto, diferencial, etc).

“Mas como vou saber quanto devo cobrar se não tenho nenhum trabalho ainda?”

Parece absurdo, ter que trabalhar pra saber quanto deve cobrar, mas não poder trabalhar por não saber quanto cobrar. Mas quem disse que os projetos que você vai fazer para tirar a sua média precisam ser projetos pagos? Escrevi um artigo sobre isto algum tempo atrás.

Outra maneira é fazer uma média imaginada e ir testando os seus valores até encontrar um valor ideal.

“Devo sempre seguir o preço da minha tabela?”

Não. Ele serve apenas como referência. Muitas vezes um cliente só vai querer o logo, sem o manual de aplicação da marca (ou seja, em formato digital). Outros vão querer que você aplique a marca a canetas, camisetas, caminhões, bonés, canecas, papelaria, etc. Isto exige mais tempo e, consequentemente, mais dinheiro.

Outras vezes o cliente vai pedir mais de uma refação – e muitas vezes, você precisa ir ao início do projeto, jogar tudo fora e começar de novo. Isto também gera um novo custo.

No xCake, temos uma tabela de preços. Mas cada blog novo é um caso novo: tem cliente que quer uma caixa de destaques, outro quer duas barras laterais, outro não quer ter barra lateral e quer deixar como portfólio, outros querem fazer um portal inteiro. Não posso cobrar R$ 1.000 em todos os casos, pois alguns serão mais complexos que outros – e não é ético cobrar o valor de um portal para um site de página única sem muitos detalhes.

Não se prenda a sua tabela, mas aprenda a calcular baseado nela. Infelizmente, não existe um método certeiro que funcione 100% das vezes – o único jeito é através da tentativa-e-erro.

“Devo usar tabelas de preços de concorrentes como base para fazer a minha?”

Aí depende. Minha resposta para 99% das vezes é não. Seu concorrente tem os mesmos custos que você? Ele tem mais ou menos empregados que você? A qualidade do serviço dele difere como em relação a sua? Qual o público-alvo dele? Geralmente as respostas serão muito diferentes das suas, então não vale a pena usar outra tabela como referência.

“Mas e se eu não conseguir nenhum cliente com minha tabela de preços?”

Aí basta repensar o seu modelo ou mudar o seu público-alvo. Lembre-se: tentativa e erro.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: