Arquivo Aberto ou Fechado

Para saber se será melhor enviar um determinado arquivo em regime aberto ou fechado, primeiramente será preciso entender a diferença entre os dois conceitos.

Arquivo Aberto

Entende-se por arquivo aberto aquele que para ser impresso em um outro computador que não aquele que o gerou, necessitará, além do arquivo em si, que sejam enviadas também todas as ilustrações e imagens que o compõem, além de todas as fontes utilizadas pelo arquivo. Esse arquivo precisará ser aberto ou lido na mesma plataforma e versão do aplicativo em que foi elaborado desde o seu início. Será então, conferido com uma impressão de prova do trabalho e se tudo estiver correto, será fechado conforme informações da ordem de serviço e enviado para a impressora comercial.

Arquivo Fechado

Já o arquivo fechado é completo, ou seja, dentro dele estão presentes todas as informações e componentes do arquivo original: fontes, textos, ilustrações, fotos e imagens, além de informações  pertinentes a como ele deve ser impresso (marcas

de corte, informações de página etc.). A este conjunto de dados e informações damos o nome de Código PostScript. Sendo assim, esse arquivo está pronto para uma impressão remota e só poderá ser visualizado e impresso, não possibilitando  alterações de conteúdo.

Quando seu projeto gráfico estiver acabado e, conseqüentemente, seus arquivos digitais estiverem finalizados, você terá de enviá-los para um birô a fim de obter fotolitos. Ou ainda, para um birô/gráfica que trabalhe com o sistema direto na chapa (direct to plate) ou também com o sistema de impressão digital (computer to press).

Entregando seus Arquivos Digitais ao Birô

Em qualquer uma das situações mencionadas o arquivo poderá ser enviado aberto ou fechado. Esta decisão caberá a você e deverá ser tomada após a análise de alguns pontos que serão abordados. Porém, independentemente de enviar o arquivo aberto ou fechado para o prestador de serviço (birô ou gráfica), alguns cuidados gerais deverão ser tomados:

– Preenchimento completo, claro e com o máximo de informações da ordem de serviço (OS) fornecida pelo birô.

– Envie junto com o arquivo uma impressão a laser, ou mesmo jato de tinta, da versão final de seu arquivo. Essa impressão servirá como guia de comparação com o preview do RIP (rasterizador de imagens) a fim de verificar se tudo está correto e se não falta nenhum elemento em seu trabalho.

– Mesmo enviando o arquivo em regime fechado, envie também uma versão em regime aberto, no caso de um eventual problema com o fechado, poupando assim uma surpresa desagradável geralmente em horários bem inconvenientes.

– Envie sempre uma cópia de segurança para eliminar qualquer contra-tempo com mídias defeituosas.

– Informe-se sempre com o birô, antes de enviar os seus arquivos, com quais tipos de mídias de transporte eles trabalham (Zip, CD-ROM, Jazz drive, Syquest etc.) E com quais plataformas eles operam (Mac, PC, Silicon, Sun etc.).

– Procure sempre identificar claramente o conteúdo e a procedência dos discos de transporte, colocando sempre etiquetas em locais de fácil leitura, contendo informações sobre o conteúdo deles.

– Em relação à divisão de diretórios e subdiretórios, use de organização e bom senso ao nomeá-los. E, se possível, proteja suas mídias, tratando-as antes de enviá-las ao birô.

– Evite enviar arquivos grandes (acima de 1Mb) pela internet para que o birô os receba diretamente, pois, neste caso, o arquivo pode chegar corrompido.

Fonte: http://portaldasartesgraficas.com

Tassila M. Pinheiro

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: