O que é HDR? Por que usar essa técnica?

Na teoria

HDR significa High Dynamic Range, que seria um Alto Alcance Dinâmico. Isso também não diz nada né? Pois bem, vou tentar explicar de uma forma não tão chata:

O Alcance Dinâmico é, basicamente, a quantidade de luz de diferentes intensidades que consegue ser gravada na nossa câmera.

O olho humano tem um Alcance Dinâmico incrível: quando estamos olhando uma paisagem conseguimos ver os detalhes do céu, das nuvens, dos prédios, do mar, da grama… enfim: todos os detalhes. Já nossa câmera não!

Como dá pra ver nas duas imagens acima se quero registrar os detalhes do céu ao Pôr do Sol preciso “sacrificar” os detalhes do restante da cena, e vice-e-versa.

Alcance Dinâmico depende do formato de gravação do arquivo (os arquivos RAW tem vantagem aí) e também depende do próprio Sensor da sua Câmera. Mas mesmo fotografando em RAW ou com uma câmera fantástica às vezes é “preciso” usar a técnica HDR para captar todos os detalhes pois mesmo considerando um alcance dinâmico nativo bem alto é possível que a cena tenha muitas intensidades e luz diferentes.

É usando essa teoria que criamos as tais das fotografias HDR: juntamos fotos com um alcance dinâmico pequeno, usando diversas exposições, para criar imagens com um alcance dinâmico gigantesco e mais parecido com o que vemos com nossos olhos.

Assim chegamos a um resultado de uma imagem com muita, mas muita, informação de luminosidade. E isso nos dá controle. E isso nos faz poder criar fotos maravilhosas!

Na prática

Embora existam todos esses detalhes técnicos podemos simplificar a explicação:

O objetivo da HDR é conseguir captar o máximo de detalhes em luzes e sombra quanto for possível.

Situações onde se usa HDR

Na cena que vamos fotografar existem sombras e luzes. Só que nem sempre estamos perdendo detalhes, por isso nem sempre é interessante fazer HDR. Exemplos:

Situação aonde NÃO é necessário fazer HDR:

Quando temos uma cena com pouca variação de Sombra e Luz e usar uma exposição normal (no “zero”) trará um bom resultado. Checando o Histograma vemos que não perdemos detalhes nem nas sombras nem nas luzes.

Situação aonde é interessante fazer HDR:

Quando temos cenas de alta variação de Luminosidade. Por exemplo: quando estamos fotografando com um céu bem aberto e claro. Nessas horas temos que decidir se nosso assunto será o céu (o que fará com que todo o resto da cena fique subexposta pois teremos que fotografar em -1 ou -2) ou se será o resto da cena (o que fará com que o céu fique inevitavelmente claro demais pois teremos que fotografar em +1 ou +2).

Neste caso iremos aumentar o Alcance Dinâmico da foto tirando várias fotos que capturem separadamente todos os detalhes.

E por que usar essa técnica?

Sabe porque esse tipo de foto é legal? Pois uma boa HDR faz a cena parecer real, quase podemos tocar! Isso porque conseguimos simular o Alcance Dinâmico dos nossos olhos 🙂

Nos próximos artigos você vai aprender os cuidados a tomar e como fazer, passo a passo, uma foto em HDR.

 

fonte: dicasdefotografia.com.br

André Sanchez

www.andresanchez.com.br

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: