A agência The New, da Cidade do México, inovou bastante para promover a bebida energética Gladiator, e criou uma lata USB que permite guardar arquivos! Isso mesmo, uma lata!

A bebida da Coca-Cola, tem como público alvo jovens urbanos “que possuem uma rotina intensa”, ou seja, que trabalham em escritórios.

Utilizando esse público alvo de maneira bem humorada a campanha propõe uma “batalha” que  é encontrar o um pen drive quando mais se precisa, e claro, em pouco tempo! Para ajudar a vencer tal “batalha” a bebida lança mão de uma lata USB que funciona como pen drive online.

Para isso é preciso acessar o site usbcan.mx, logar com sua conta do Facebook, posicionar a lata em frente a câmera do computador e assim fazer o upload dos arquivos que quiser/ precisar. Também é possível descarregar os arquivos em qualquer outro computador.

Pois é, verdade seja dita, nada fica de fato armazenado na lata, e, confesso, fiquei preocupada com o que acontece caso a lata se perca, mas que a campanha é muito bacana não dá para discutir!

Fonte: http://www.des1gnon.com

A cena tem sido cada vez mais comum, em diversas agências dos mais variados tamanhos:

Com a popularização deste curso de graduação em territórios tupiniquins, crescente é o numero de profissionais de design que tem desembarcado todos os dias em departamentos de criação, quebrando um cenário que até então era apenas constituído em sua grande maioria por profissionais de publicidade.

Muita das vezes, estes profissionais são confundidos com diretores de arte, ou entram nos departamentos para ocupar esta função. O que teoricamente seria um equivoco. Obviamente , que designers (claro que estamos falando dos que tem especialização em design gráfico ou produção gráfica) tem os ” skils” necessários para atuar como tal. Conhecimentos de conceitos estéticos e softwares de criação, por exemplo, fazem (ou pelo menos deveriam) fazer parte da formação deste profissional criativo. Mas é sempre importante lembrar que as escolas que formam diretores de arte e as escolas que formam profissionais de design pouco se parecem. Principalmente no que diz respeito a forma de “ingerir, conceber e desenvolver” o briefing nosso de cada dia,

Enquanto diretores de arte por serem muito preocupados com venda e a velocidade do processo criativo, norteiam seus jobs com referencias em ações de cunho mais “varejista” como: estratégias de venda, pesquisa em concorrentes, praticas de venda do mercado em que o produto faz parte e etc.
Já o designer, com um compromisso muito maior com os valores e conceitos da marca, em sua grande maioria promove trabalhos com um nível maior de discernimento intelectual, o que é importantíssimo para a história gráfica de uma marca, mas em grande maioria, foge do insano e dantesco ritmo de trabalho do mercado publicitário.

Claro, não queremos dizer com isso, que trabalhos funcionais mercadologicamente não podem ser realizados por um designer, nem mesmo que peças de maior enredo visual não possam ser concebidas por um diretor de arte. Temos no mercado, nas diversas publicações de nosso segmento, grandes exemplos das duas situações. Mas é importante que as agências e os diretores de criação se atentem bem na hora de adquirir um profissional para o seu elenco.

A história diz que grandes times, sejam eles de qualquer área, são formados por pessoas que se diferem, mas que se completam ao se enquadrarem em suas posições corretas.

E a dica é que o profissional de design, ao adentrar as portas de uma agência, se prepare para entrar em um ritmo acelerado de criação, bem diferente do que ele ouvia nas escolas, e claro comer muita pizza, porque o Job é pra ontem.

Fonte: http://vitaminapublicitaria.com.br/

Surpreendendo mais uma vez, a gigante da indústria de refrigerantes inovou para oferecer ao publico uma Coca-Cola verdadeiramente gelada. Para isso, criou uma garrafa feita inteiramente de gelo que promete uma bebida fria até a última gota.

A ação foi desenvolvida pela Ogilvy/CO e realizada em Cartagena das Índias, na Colômbia. Escolha bem apropriada, já que, a temperatura média no local é de aproximadamente 30° ao longo do ano, e umidade relativa de 90°.

No vídeo, a Companhia relata esta como uma experiência única, e ainda, tem um apelo ambiental, uma vez que a “embalagem” é totalmente ecológica, pois derrete dentro de algum tempo. Ou, é possível adiantar o processo comendo, como fez um amigo no vídeo. Porém, esta não parece uma opção muito higiênica.

 

Fonte: http://vitaminapublicitaria.com.br

A DM9DDB é a agência brasileira com maior número de peças inscritas na 60ª do Festival Internacional de Criatividade de Cannes.

Com 353 trabalhos, ela ocupa o primeiro lugar no ranking, seguida pela AlmapBBDO (250), Y&R (242), Ogilvy Brasil (214) e Africa (169), nas cinco primeiras posições.

As inscrições de agências são contabilizadas de acordo com a “Entrant Company“, ou seja, a empresa que na ficha técnica é a responsável pela inscrição.

Este ano, o Festival e o Brasil tiveram crescimento no total de peças inscritas e 175 agências concorrerão com seus trabalhos. Os 92 países participantes inscreveram um total de 35.762 trabalhos, acréscimo de 4% com relação a 2012. Já o Brasil teve 3.473 trabalhos inscritos (aumento de quase 2%), leia aqui.

A categoria com maior número de peças brasileiras é Outdoor (820), seguida por Press (797), Promo (312), Direct (290), Media (251) e Design (247). A categoria Innovation Lions, que estreia este ano, teve 17 peças inscritas.

Confira abaixo o ranking das inscrições brasileiras no 60º Cannes Lions Festival Internacional de Criatividade:

Agência Inscrições

DM9DDB 353
AlmapBBDO 250
Y&R 242
Ogilvy Brasil 214
Africa 169
Leo Burnett Tailor Made 148
F/Nazca Saatchi & Saatchi 143
JWT Brazil 118
Artplan 93
Talent 88

http://www.ccsp.com.br/site/ultimas/64289/Cannes-Lions-2013

Você pode até não perceber, mas existem produtos que são reconhecidos pela marca e acabaram se tornando senso comum entre os consumidores. Geralmente isso ocorre por alguns fatores determinantes da publicidade: ser o primeiro do mercado ou o único a fazer propaganda e por aí vai. Por isso, separamos algumas dessas marcas/produtos ou produtos que se tornaram marcas em sí para você entender melhor do que estamos falando. Espero que gostem dessa pequena viagem ao mundo das Top Of mind (nome utilizado para a primeira marca que vem em nossas cabeças quando falamos de um determinado produto.)
Bom Bril (esponja de lã de aço)

laaco_assolan[1]

Chiclete (goma de mascar)

chiclete-bubbaloo-morango-200x200[1]

Band-Aid (curativos adesivos)

BandAiddivertidos[1]

Gillette (lâmina de barbear)

sofisticado_e_moderno_o_bic_comfort_3_black_night_chega_ao_mercado[1]

Miojo (macarrão instantâneo)

macarrao-instantaneo-hot-dog[1]
Isopor (Poliestireno Expandido – EPS)

bandeja_isopor[1]

Cotonetes (hastes flexíveis)

hastes-flexiveis[1]

Xerox (fotocópias)

gatinho-xerox[1]

Jet Ski (moto aquática)

jet-ski[1]

Durex (Fita Adesiva)

durexm

Maizena (Amido de Milho)

b03be101[1]

Modess (Absorvente Íntimo Feminino)

intimus-absorvente-2_thumb3[1]

Yakult (Leite Fermentado)

leite_fermentado_com_6[1]

Sucrilhos (Cereal)

cereal_boxes[1]

Jeep (Veículo Utilitário Esportivo)

Jipe-Troller-T4-4x4-Diesel

 

Fonte: http://www.criatives.com.br/2013/06/15-marcas-que-viraram-sinonimo-de-produto/

Você achava que as mudanças nas latinhas de Coca-Cola teriam chegado ao fim, mas uma pequena, geniosa e simples alteração no corte da latinha nos presenteia com um sorriso. Criada pela McCann de London, é a segunda intervenção no produto para a nova campanha “Open Hapinness” Não sabemos se essa novidade chegará ao Brasil, mas ao menos já sabemos que ela existe. Esses criativos são mesmo, uma Coca-cola toda.

 

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.